Curiosidades do The Best: Tite ignora Messi e Neymar é melhor para astro

A eleição do prêmio "The Best" ainda repercute mundo afora. Realizado na última segunda-feira, o evento promovido pela Fifa, que coroou, sobretudo, o 2016 perfeito de Cristiano Ronaldo, trouxe diversas curiosidades quanto a votos.

Representantes brasileiros na eleição do melhor jogador do mundo do último ano, Daniel Alves e Tite optaram por um trio diferente. O lateral-direito, que atuou no Barcelona e agora está na Juventus, elegeu ex-companheiros para o pódio: Messi, Neymar e Suárez. O técnico da Seleção, por sua vez, ignorou Messi, o deixando de fora de seu trio: Cristiano Ronaldo, Neymar e Griezmann.

Unanimidade entre Daniel e Tite, Neymar acabou na quarta colocação entre os postulantes ao prêmio. O camisa 11 do Barça terminou a votação com 6,23% dos votos, enquanto Griezmann, finalista e no terceiro posto, ficou com 7,53%. Em segundo, Messi somou 26,42%, ficando atrás apenas do vencedor, Cristiano Ronaldo, que obteve 34,54% da preferência.

Ainda sobre Neymar, o brasileiro viu nove eleitores o deixarem na primeira posição. O voto mais chamativo foi o de Pierre-Emerick Aubameyang, astro do Borussia Dortmund e de Gabão. Além dele, Ramin Ott (Samoa Americana) e Paulo Cheang Cheng Ieong (Macau) foram os outros capitães que deram preferência para o camisa 11, além de quatro técnicos e dois jornalistas.

Por falar em jornalista, Paulo Vinícius Coelho, ex-colaborador do LANCE!, foi o brasileiro escolhido pela Fifa para representar a classe. PVC votou nos três jogadores do pódio em 2015, mudando apenas a ordem: Cristiano Ronaldo, Messi e Neymar.

CRITÉRIOS DE VOTAÇÃO

Para este ano, a Fifa adotou uma nova fórmula de eleição. Desta vez, a entidade abriu espaço para o público nas votações para melhor jogador e melhor técnico no futebol masculino e feminino, representando 50% dos votos ao lado de 200 jornalistas - os outros 50% são representados por técnicos e jogadores.

PREMIER LEAGUE, CADÊ VOCÊ?

Competição nacional mais rica e equilibrada da Europa, a Premier League não teve sequer um representante na Seleção do Mundo em 2016, dominada por jogadores de Barcelona e Real Madrid.

O fato, aliás, não é novidade. Para se ter uma ideia, nesta década, apenas o zagueiro Vidic, ex-Manchester United, representou a Liga Inglesa por conta de uma temporada completa no país. O sérvio foi escolhido em 2011.

Se tratando de meia temporada, hás dois jogadores da Inglaterra que foram premiados pela Fifa, de 2010 para cá. Tratam-se de David Luiz, quando representou o Chelsea e o Paris Saint-Germain, em 2014, e Di María, que atuou por Real Madrid e Manchester United, no mesmo ano.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos