Chelsea recebe autorização para fazer reforma no Stamford Bridge

O Chelsea recebeu a permissão que precisava para reformar o Stamford Bridge. Na última quarta-feira, o projeto foi aprovado por unanimidade em reunião do comitê de planejamento e desenvolvimento do conselho de Hammersmith e Fulham, região onde o estádio fica.

De acordo com o clube, a decisão das autoridades ainda não permite o começo das obras, mas é o passo mais importante a ser dado para que a ideia avance. O estádio foi construído em 1905 e tem capacidade atualmente para cerca de 41.600 torcedores. Após a reforma, o local poderá receber até 60 mil espectadores.

As obras deverão custar 500 milhões de libras (R$ 1,9 bilhão) e tem previsão para ficar pronto para a temporada 2021/2022. O escritório de arquitetura Herzog & De Meuron, da Suiça, que foi responsável pelo Ninho do Pássaro, em Pequim, e pela Allianz Arena, da Alemanha, é o responsável pelo projeto.

Em outra votação, porém, o conselho definiu que algumas partes do projeto ainda precisam ser revistas. Dentre elas a capacidade do estacionamento e os planejamentos sobre as demolições. O estádio mudará completamente sua estrutura, ficando maior, e, por isso, alguns prédios ao redor, conhecidos como Chelsea Village, serão demolidos.

Enquanto acontece a reforma, o Chelsea precisará escolher outra casa. Uma das opções é o estádio de Wembley, que também vai abrigar o Tottenham no próximo ano para as obras do White Hart Lane. A outra hipótese é Twickenham, o estádio nacional de rugby.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos