Corinthians muda discurso em dois dias, mas segue otimista por Jadson

  • CLAYTON DE SOUZA/ESTADÃO CONTEÚDO

    Luis Fabiano e Jadson treinam no Tianjin Quanjian

    Luis Fabiano e Jadson treinam no Tianjin Quanjian

Diretor de futebol do Corinthians, Flávio Adauto admitiu neste sábado ter cometido "um grande equívoco" ao dizer que o clube estava próximo de contratar o meia Jadson porque ele já teria rescindido seu contrato com o Tianjin Quanjian, da China. Em pronunciamento neste sábado, o dirigente reconheceu a precipitação e mudou o discurso, esfriando a "temperatura" da negociação pelo campeão brasileiro de 2015. Apesar da nova postura de seus diretores em aparições públicas, o Timão mantém conversas e tem otimismo.

- Me foi perguntado sobre o Jadson e respondi afirmativamente. Depois me alertaram que não era por aí, que faltava uma série de coisas. Para consolidar uma transferência leva um tempo. Hoje não tenho atualizações. Vamos falar, se for o caso, quando nos for dito que ele não tem vínculo com ninguém. O Jadson tem vínculo. Quando não tiver vínculo vamos conversar - diz o diretor.

Jadson, de fato, ainda tem vínculo com o Tianjin Quanjian, mas já foi avisado de que dificilmente permanecerá no clube em 2017. Os chineses subiram para a Primeira Divisão do país e agora planejam investimentos financeiros maiores em busca de jogadores mais renomados para sua equipe, como Diego Costa, que será alvo de uma investida de R$ 313 milhões. Aos 33 anos e com apenas mais uma temporada de contrato, Jadson não se encaixa no perfil e deve ser liberado para que se abra uma nova vaga de estrangeiros, pois são apenas quatro por temporada e já há Geuvânio e o belga Witsel no elenco.

O jogador brasileiro, no entanto, quer receber o valor total correspondente ao último ano de contrato, que pode chegar a R$ 18 milhões. Enquanto o acerto financeiro não for concluído e o Tianjin não contratar novos estrangeiros, Jadson segue como jogador do clube chinês. O quadro pode mudar em breve.

- Não podemos desrespeitar o contrato que ele tem no clube chinês. Você pode monitorar, fazer contato, ficar atento, mas não desrespeitar - argumenta Alessandro Nunes, gerente de futebol do Timão.

A sinalização positiva dos representantes de Jadson ao Corinthians sobre a possibilidade de rescisão na China foi o que animou os brasileiros. Por isso, o clube interrompeu conversas com Wagner, que está de saída do Tianjin Teda, também da China, e Anderson, do Internacional. Caso também fracasse a negociação por Jadson, a ideia do Timão é se manter no mercado por um meia.

- Não dá para pontuar que estamos satisfeitos, vamos continuar buscando qualificar para ter uma equipe muito forte em 2017 - disse Alessandro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos