Borja diz que ida para o Palmeiras depende de 'Deus e das diretorias'

Na noite de quarta-feira, a página de Miguel Borja no Instagram foi tomada por palmeirenses que pediam a sua contratação. Diante das seguidas mensagens, o atacante do Atlético Nacional (COL) disse que sua chegada no Verdão dependia de "Deus e das diretorias" dos clubes. Apesar do lobby na rede social, o atual campeão brasileiro diz não estar negociando com o jogador.

- Obrigado a todos por escreverem e por acreditarem nas minhas condições como jogador de futebol. Minha chegada ao Palmeiras só depende de Deus e das diretorias dos clubes - resumiu o atleta, nos comentários da imagem.

Quarta, Borja citou que não tinha recebido proposta do Verdão, mas via com bons olhos atuar no Brasil e novamente com Alejandro Guerra, outro ex-Atlético Nacional. Ele e Pratto foram considerados os principais nomes para substituir Gabriel Jesus, vendido ao Manchester City.

Só que os valores afastaram o atual campeão brasileiro: quase R$ 60 milhões pelo colombiano e R$ 40 milhões pelo argentino. Pelo jogador do Atlético-MG, o Palmeiras queria oferecer perto de R$ 27 milhões, além de Arouca, que interessa ao Galo. Os mineiros, contudo, não toparam.

Diante da dificuldade em trazer um centroavante renomado, Alexandre Mattos disse que o elenco está fechado para o início do ano, a menos que apareça uma "oportunidade de mercado". O Verdão anunciou também na quarta a contratação de Willian, ex-Cruzeiro, por três anos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos