São Paulo recebe visita de Bordon, ex-companheiro de Rogério Ceni

Campeão da Conmebol, em 1994, e do Campeonato Paulista, em 1998, o ex-zagueiro Bordon visitou o CT da Barra Funda nesta quinta-feira e reencontrou Rogério Ceni, de quem foi companheiro por anos no São Paulo. Bordon acompanhou as atividades comandadas pelo treinador nesta manhã e recordou momentos marcantes de sua passagem pelo clube.

- Muito legal poder voltar ao CT e recordar a passagem que tive por aqui. Cheguei jovem ao São Paulo, com 16 anos de idade, e saí para o futebol alemão aos 22 anos. Conquistei títulos e tive a oportunidade de trabalhar com grandes jogadores e treinadores. E reencontrar o Rogério é especial, porque crescemos juntos. Eu estava presente quando ele marcou o seu primeiro gol, fomos campeões da Comnebol e temos muitas histórias - afirmou o ex-atleta, em entrevista ao site oficial do São Paulo.

No período em que defendeu o Tricolor, Bordon disputou 238 partidas: 106 vitórias, 70 empates e 62 derrotas, além de ter balançado as redes oito vezes.

- O São Paulo representa um pedaço da minha vida, porque vivi muitas coisas aqui. Cheguei ao clube em um momento de transição, após as equipes vitoriosas de 1992 e 1993, e passamos por uma reestruturação. Demorou um pouco para entrosar o time, porque a cobrança era grande, mas com o tempo a gente conseguiu se firmar. Conquistamos o Paulista de 1998 e ganhamos mais confiança - recordou o ex-defensor.

Bordon foi campeão da Conmebol em 1994, o primeiro título da carreira de Ceni, fazendo parte dO Expressinho, time de juniores e reservas do clube que disputava as partidas e torneios amistosos quando o time titular não estava disponível. Para ficar com o troféu do torneio, o São Paulo fez ótima campanha e deixou grandes adversários para trás. Bordon lembra com carinho daquela conquista.

- A conquista da Conmebol me marcou bastante, porque era um time formado por garotos. A gente sempre entrava dançando e cantando no vestiário, mas nossa equipe tinha responsabilidade dentro de campo. Goleamos o Peñarol na decisão, e isso me marcou muito, porque o time deles era a base da Seleção Uruguaia na época. O São Paulo foi o clube que me deu mais prazer em jogar futebol, porque todos queriam estar dentro de campo. O Telê Santana cobrava bastante, sempre em busca da perfeição, e por isso muitos garotos daquela época vingaram no time principal - contou o ex-jogador, que atualmente é técnico.

Bordon ainda disse ter certeza de que o São Paulo terá um período vitorioso com Rogério Ceni como treinador.

- Eu não tinha dúvida de que ele seguiria no futebol após parar de jogar, porque o esporte precisa de profissionais como ele. O Rogério é forte mentalmente, tem caráter e muita experiência. Ele não poderia ficar longe do futebol, principalmente do São Paulo. Ele tem muita coisa para passar aos jogadores, e estou contente que ele escolheu este caminho. Tenho certeza de que o time terá uma trajetória vitoriosa com ele - declarou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos