Após 'calvário', Schweinsteiger inicia sua redenção no Manchester United

Desde que optou por deixar o Bayern de Munique, onde é um grande ídolo até hoje, Schweinsteiger não teve vida fácil no Manchester United. Em sua primeira temporada, ainda com Louis van Gaal, sofria com lesões e pouco jogou. Com a chegada de José Mourinho, tudo piorou. Foi afastado, colocado na lista de transferências e foi até envolvido em polêmicos. Ficou, e neste domingo foi titular pela primeira vez com o português na vitória por 4 a 0 sobre o Wigan, e foi considerado o homem do jogo.

Quando Mourinho chegou, logo deixou o alemão de fora. Na ocasião, explicou que era mera opção, que gosta de trabalhar com 20 jogadores de linha, e que Schweinsteiger estava sobrando. Foi "rebaixado" a treinar com o time sub-23, e foi liberado para procurar outro clube. O que não aconteceu. Nunca era relacionado.

Por conta disso, o português foi alvo de muitas críticas. Karl-Heinz Rummenigge, diretor-executivo do Bayern de Munique, criticou duramente Mourinho. Uli Hoeness, presidente dos bávaros, disse que o United tratava o meia como a um leproso. O advogado Dejan Stefanovic, membro da Federação Internacional de Jogadores Profissionais (FIFPro) acusou o treinador de fazer bullying.

Nos bastidores, as informações eram de que Basti estava sendo punido por não se tratar corretamente de sua grave lesão no joelho em março do ano passado. De acordo com o "Daily Mail", ele não fazia todas as atividades para ficar viajando nos circuitos de tênis para acompanhar sua esposa, a sérvia Ana Ivanovic.

Fato é que, com a chegada do português, Schweinsteiger não tem sido mais visto nos torneios de tênis. Pelo menos não com a mesma frequência. Além disso, ela se aposentou no fim do ano passado. Paralelamente, o craque foi se recondicionando fisicamente, despediu-se da seleção alemã, e foi se transformando em opção para Mourinho.

Até agora, entrou em campo apenas três vezes na temporada, sendo que nenhuma pela Premier League. A estreia foi pela Copa da Liga contra o West Ham. Ficou em campo por sete minutos, mas encontrou tempo para participar de um gol de Ibrahimovic. Contra o Reading, pela Copa da Inglaterra, entrou também no fim.

Neste domingo, o seu melhor momento na temporada. Enfim titular, jogando em sua posição ao lado de Fellaini, e o prêmio de melhor jogador em campo na goleada por 4 a 0 sobre o Wigan pela Copa da Inglaterra. Fez o cruzamento para o belga cabeludo abrir o placar, foi participativo o tempo todo, e ainda fez o seu gol em meia-bicicleta. José Mourinho já começa a elogiar e mostra que conta com o alemão, e ainda prezou sua postura.

- Ele vai ficar e será inscrito na Liga Europa. Não temos muitos jogadores no meio, então obviamente ele é uma opção. Ter ficado em campo por 90 minutos provavelmente foi duro para ele, mas foi importante para ele, também pelo seu gol de meia-bicicleta, e acho que ele está feliz. Se ele foi um bom profissional quando não estava jogando, agora vai ser o mesmo ganhando oportunidades - disse Mourinho após o jogo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos