Renato avalia saída de Walace: "Não tinha o que fazer"

O treinador do Grêmio, Renato Portaluppi, participou do programa ''Bem, Amigos'' do Sportv. Ao ser questionado sobre a saída do Walace, Renato explicou que o jogador o ligou pedindo para ser negociado com o Hamburgo-ALE, processo que foi finalizado nessa segunda-feira:

- Estava no Rio, quando meu telefone tocou. Era o Walace, ele me falou que estava embargada a questão com o Grêmio. Ele me falou que queria sair, que era o sonho dele jogar na Europa, fazer a independência financeira. Não tinha o que fazer. O treinador é quem menos quer perder um jogador, mas às vezes não há nada que se possa fazer.

Sobre a dupla de zaga, apontado como fundamental para o título da Copa do Brasil em 2016, o técnico não tem a intenção de se desfazer da dupla titular:

- Um dos nossos pontos fortes foi a dupla Geromel e Kannemann. Ele quer continuar, e irá continuar, pois é a vontade dele. Seria uma perda muito grande se ele saísse.

Renato Portaluppi também comentou o grupo do Grêmio na Libertadores, que começará em março para o clube gaúcho:

- Ruim não foi. A grande vantagem de não ter o grupo mais forte, é que se tivermos a melhor campanha na fase de grupos, decidiremos sempre em casa - finalizou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos