Renato se defende de críticas por não ter ido a Brasília

O foco do Grêmio está na partida contra o Passo Fundo, no próximo domingo na Arena do Grêmio, porém o assunto da coletiva de Renato Portaluppi no CT Luiz Carvalho foi a ausência do treinador no Mané Garrincha para a partida em que o Tricolor gaúcho foi derrotado pelo Flamengo por 2 a 0, na última quarta-feira. Renato se defendeu das críticas sofridas por ficar em Porto Alegre treinando os titulares:

- Eu sou empregado do clube. Se eu não fui a Brasília, já estava programado isso, e vai acontecer de novo em alguns jogos este ano. Sigo as ordens dos meus superiores. Tem reuniões, trocamos ideias. Agradando ou não a algumas pessoas lá fora. Algumas pessoas da imprensa têm amnésia. Fomos campeões da Copa do Brasil fazendo a mesma coisa, todo mundo foi aplaudido, inclusive o Renato. Quando se trata aqui no sul do Renato, um pingo d'água é uma tempestade. Ainda bem que é a minoria, algumas pessoas têm que parar de perseguir o Renato.

O técnico do Grêmio garantiu que não mudará o jeito de treinar a equipe, nem seu jeito de se expressar, por causa de críticas:

- Não me afeta em nada. Vou continuar tendo o meu jeito de trabalhar. O que eu falo é sincero, doa a quem doer, é da maneira que eu vejo futebol. Se as pessoas enxergam futebol a apenas um palmo do nariz, eu enxergo a quilômetros. Eles não ficam querendo comentar o meu trabalho, ficam esperando um furo do Renato. O torcedor pode ficar tranquilo, porque tem pessoas competentes dentro do clube. Toda hora que sai alguma coisa do Renato, não vou ficar retrucando. Aceito as críticas construtivas. As maldosas, não vão entrar no CT do Grêmio, na minha cabeça. Daqui a pouco, vou dar uma entrevista por mês e não tem mais polêmica. Algumas pessoas acham que sabem de tudo.

Na última quarta-feira, Douglas teve ruptura no ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo e tem previsão de ficar longe dos gramados por seis meses. Com a ausência do principal meia do elenco, Renato admitiu a possibilidade do Grêmio retornar ao mercado para buscar um substituto:

- Tive uma conversa junto com o vice Odorico e com o presidente (Romildo Bolzan). Conversamos durante uma hora, uma hora e meia. Trocamos ideias, fizemos algumas colocações, e o que eu posso falar é que aqui no Grêmio ninguém está parado. Estão se mexendo, na hora certa de repente você pode ter uma notícia. Aqui no Grêmio, as pessoas certas estão se mexendo para que a gente possa, dentro de um ou dois tiros, possa antecipar.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos