Brusque vence a Chapecoense por 2 a 1 no minuto final do jogo

Com dois pênaltis, um gol contra, expulsão, Brusque conseguiu virar no último minuto e venceu a Chapecoense por 2 a 1. A Chape, que veio de uma derrota para o Avaí, por 3 a 0, no meio da semana, teve dois pênaltis a seu favor e perdeu um, o que dificultou a caminhada para tentar se recuperar e tornar-se campeã do turno.

A derrota no meio da semana preocupou o técnico Vagner Mancini, que colocou Nadson no lugar de Osman e Nenén no lugar de Dodô. Seguindo o sistema de revezamento de goleiros, Artur Moraes, expulso no primeiro tempo, iniciou a partida, mas obrigou Elias a voltar à posição. Do lado do dono da casa, João Carlos passou a assumir a lateral-direita e Carlos Alberto jogou como volante, no lugar de Pedrinho.

Aos 4 minutos do primeiro tempo, Rodolpho fez a primeira defesa da partida. No lance, Nadson cruzou na área e Grolli tentou o desvio, mas o goleiro impediu. Em 10 minutos, a Chapecoense teve cinco escanteios. O sexto rendeu cartão amarelo para Wellington Paulista e para João Carlos, que trocaram empurões dentro da área do Brusque.

Aos 22, Jonas Belusso tentou encobrir Artur Moraes, que deu um tapa na bola de fora da área e recebeu o único cartão vermelho da partida. Com a expulsão do goleiro, Mancini tirou Nenén da linha, para que Elias pudesse assumir a defesa.

O primeiro gol da partida saiu aos 26 minutos, quando Ricardo Lobo recebeu bola meia-lua, de escanteio e chutou no canto esquerdo de Elias. Depois de sofrer o primeiro gol, a Chape tentou resposta e fez Rodolpho se esticar para salvar o Brusque da bola cruzada de Reinaldo.

Em um jogo de muitos escanteios, a Chape recebeu mais um e a bola cruzada para a área bateu no braço de João Carlos. Pênalti marcardo e finalmente, aos 45 minutos do segundo tempo, Wellington Paulista marcou o primeiro gol para o Índio Condá.

Sem novidades, o segundo tempo começou lento. Porém, a surpresa veio aos 21 minutos, quando Zeballos finalizou e a bola bateu na mão de Mineiro, dentro da área. Mais um pênalti a favor da Chape e quem bateu, mais uma vez, foi Wellington Paulista. Na cobrança, o atacante perdeu a oportunidade de fazer seu segundo na partida e chutou na trave.

O Brusque pressionou no final e fez uma bela jogada quando Carlos Alberto tabelou com Ricardo Lobo e ainda deu tempo de Zeballos levar o último cartão amarelo da partida e Eliomar virar o jogo. Aos 49 do segundo tempo, Brusque alcançou a vitória e assumiu a vice-liderança do Campeonato Catarinense.

Na próxima rodada, o Brusque encara o líder Avaí na Ressacada e a Chape recebe o Figueirense na Arena Condá.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos