Pressionado, Wenger não sai do Arsenal antes de junho

Após a "partida estranha" diante do Bayern de Munique, que goleou o Arsenal pela Liga dos Campeões, o técnico Arsène Wenger voltou a estar no cerne dos debates na Inglaterra. De acordo com a emissora "BBC", por exemplo, o francês pode sair do cargo, porém só ao fim da temporada.

Não é de hoje que a torcida dos Gunners pede a queda de Wenger, o treinador mais longevo no Velho Continente - ele está desde 1996 no clube londrino. O contrato dele, cabe ressaltar, vai até junho deste ano.

Bastante frustrado, Wenger comentou a acachapante goleada por 5 a 1, em duelo válido pela ida das oitavas de final da Champions, em Munique.

- Foi uma partida estranha, porque jogamos bem no primeiro tempo, mas depois concedemos gol atrás de gol. Não podíamos fazer nada no segundo gol, mas o verdadeiro problema foi após o terceiro, porque perdemos toda nossa organização e ficamos muito vulneráveis. Os últimos 25 minutos foram um pesadelo para nós, porque não encontramos qualquer resposta - disse o contestado Wenger.

Agora, o time de Arsène Wenger volta as suas atenções para o futebol local. Na próxima segunda-feira, o Arsenal visita o Sutton United, pela Copa da Inglaterra.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos