Votação de impeachment e Dérbi: Corinthians inicia semana decisiva

Não é exagero dizer que esta é a semana mais importante do Corinthians até o momento em 2017. Dentro e fora de campo. Nesta segunda-feira, o Conselho Deliberativo alvinegro votará o impeachment do presidente Roberto de Andrade. Já na quarta-feira, o Timão fará o seu primeiro clássico na temporada, contra o Palmeiras, na Arena.

Os dois eventos têm potencial para acalmar o turbulento ambiente corintiano nos últimos tempos, mas também podem virar o clube de cabeça para baixo. Como exemplo, basta lembrar do último Dérbi, quando a equipe perdeu em Itaquera por 2 a 0 e o técnico Cristóvão Borges foi demitido ainda no vestiário.

Até o momento neste início de temporada, a crise política do clube não tem influenciado o dia a dia do técnico Fabio Carille e seus comandados. Contudo, a votação do impeachment pode gerar mudanças no departamento de futebol do clube. Caso Roberto de Andrade seja deposto, toda a diretoria deve ser reformulada pelo próximo presidente. Mesmo em caso de permanência é possível que haja mudanças, já que o mandatário vem sendo muito pressionado para substituir o gerente Alessandro Nunes e o diretor Flávio Adauto.

Carille tenta ficar alheio a essa situação e se focar no trabalho em campo. E haja trabalho! O próprio técnico admite que o Corinthians precisa melhorar, mesmo vindo de duas vitórias consecutivas. Indagado se o time estava pronto para enfrentar o Palmeiras, ele afirmou:

- Nunca está pronto, a gente tem que buscar melhora sempre, precisamos evoluir, é um início, é um grupo novo, e aos poucos estamos evoluindo e vamos chegar onde a gente quer ali na frente - declarou.

Os próximos dias definirão se o Carnaval corintiano será de folia ou cinzas. 2017 está prestes a começar de verdade para o Timão.

ENTENDA O PROCESSO DE IMPEACHMENT

- Como será a votação?

Os 341 conselheiros do Corinthians votarão "sim" ou "não" pela destituição de Roberto de Andrade na noite desta segunda-feira. Se a maioria for favorável à destituição, será convocada uma assembleia para que os sócios decidam se aprovam ou não a saída dele. Caso sim, o vice-presidente André Luiz de Oliveira assume provisoriamente e convoca novas eleições.

- A votação

Conselheiros se reunirão a partir das 18h no Parque São Jorge. Não há quórum mínimo para que haja votação. Um membro da comissão de ética, que analisou o caso, irá ler o parecer elaborado, que é contrário ao impeachment. Na sequência, falarão um conselheiro do grupo que entrou com o pedido de destituição e um responsável pela defesa de Roberto de Andrade (provavelmente Alberto Bussab, diretor jurídico do Timão). Logo depois, será aberta a votação, que será realizada em cédulas de papel.

- Qual a base para o pedido de impeachment?

Em novembro do ano passado 63 conselheiros protocolaram pedido de destituição de Roberto de Andrade como base em assinaturas supostamente fraudulentas do presidente alvinegro em contratos da Arena. Segundo reportagem da revista Época, Roberto teria avalizado contratos com datas anteriores à de sua posse como presidente do Corinthians. São dois casos: no primeiro, ele rubricou uma lista de presença de assembleia geral de cotistas do estádio que ocorreu dois dias antes de ele ser eleito. No outro, o nome do cartola apareceu em contrato do estacionamento da arena com a Omni, firmado 27 dias antes do pleito.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos