'Defenderei o Corinthians com unhas e dentes', diz Gabriel após polêmicas

Gabriel esteve em campo apenas 45 minutos no Dérbi, mas foi um dos grandes personagens do clássico entre Corinthians e Palmeiras na última quarta-feira. Além de ter sido expulso de maneira injusta, o camisa 5 do Timão xingou torcedores palmeirenses depois da vitória por 1 a 0 e foi chamado de "traíra" pelo volante Tchê Tchê, seu ex-companheiro no Verdão.

Quando indagado se sabia que estava participando de uma transmissão ao vivo do atacante Kazim no vestiário, quando disparou contra torcedores rivais, Gabriel minimizou a polêmica. Ele reforçou que respeita o ex-clube, hoje rival, mas destacou sua relação com o Corinthians:

- Ali foi um momento de felicidade do grupo, uma coisa interna. Queria até aproveitar e falar que tenho um respeito grande pelos clubes que passei na carreira. Sou um dos primeiros a chegar e último a sair, dou minha vida em campo. Defendi todos os clubes com lealdade. Hoje, meu xará, eu jogo no Corinthians. Tenho novos amigos aqui e o que for preciso para defender esse clube vou fazer - declarou.

Gabriel afirmou que não tem nenhum problema com Tchê Tchê ou outros jogadores do Palmeiras:

- Nossa relação é tranquila. Como sempre venho dizendo, eu defendo o Corinthians. Amizade à parte, negócio é outra coisa. Vou defender a camisa do Corinthians com unhas e dentes como sempre fiz [...] Minha relação com os outros jogadores de lá é totalmente profissional. Como disse, estou feliz aqui, meus companheiros hoje são do Corinthians.

- Não sabia (dos comentários de Tchê Tchê), fiquei sabendo hoje. Deixo isso para consciência dele. Estou bem tranquilo e feliz com a vitória. Os jogadores brasileiros têm que rever algumas coisas, alguns conceitos. Há dois meses aconteceu uma tragédia com a Chapecoense, falamos em termos de a paz no futebol, o respeito que tem que ter um com o outro. Mas isso vai da consciência de cada um, estou bem tranquilo e feliz. Vou defender o Corinthians com unhas e dentes, vou defender esse clube - falou o volante.

O jogador deu a entrevista ao lado de Maycon e chegou à sala de imprensa do CT Joaquim Grava utilizando uma máscara do companheiro, autor da falta que acabou gerando a expulsão dele. O volante disse perdoar o árbitro Thiago Duarte Ribeiro pelo erro, porém, ressaltou que ele foi informado pelos auxiliares e não voltou atrás. O camisa 5 em vários momentos exaltou o trabalho do técnico Fabio Carille e também a dedicação do grupo alvinegro.

Confira abaixo os principais trechos da entrevista coletiva:

EXPULSÃO

No momento que o árbitro me deu o amarelo e depois o vermelho tentei manter a calma, tinha certeza que ele iria voltar atrás, que outras pessoas iriam ajudá-lo a tomar a decisão. Muita gente falou que não tinha sido eu, mas ele bateu o pé e não mudou de decisão. Eu não esperava que ele iria continuar com aquela decisão absurda, porque eu estava muito longe. É um erro grave, mas o Thiago é humano, pode errar. Só que ele nos prejudicou, não podemos falar o contrário.

COMO REAGIU?

Até sentei no gramado, falei que não iria sair e prejudicar a equipe. Nunca tinha sido expulso na carreira. Em várias partidas tomei amarelo no primeiro tempo e joguei o restante tranquilo, mantendo meu estilo de jogo. Mas, depois, saindo de campo caiu a ficha e vi que ele não voltaria atrás. Foi quando até esbravejei, chutei o chão, a placa de ferro, peço desculpas para as pessoas da imprensa que estavam ali. Eu estava indignado.

THIAGO DUARTE RIBEIRO

É complicado, como falei ele é humano, mas da maneira que foi... Primeiro achei que ele não tinha sido avisado, mas depois vi como foi, fiquei mais indignado, mais puto ainda. Era um Dérbi, um jogo de muita responsabilidade para nós, sabemos como é difícil jogar com um a menos. Foi uma irresponsabilidade muito grande. Eu falei "volta atrás, vai se pior para você, eu não fiz a falta". Ele falou "foi você, estou te expulsando". Depois ele viu e acho que se arrependeu.

LIBERADO PELO TJD

Fiquei feliz, esperava isso, foi uma situação absurda. Estou preparado para jogar, vamos ver como o Fábio vai armar a equipe para enfrentar o Mirassol, será uma decisão, uma equipe que vem fazendo grandes jogos. Temos que trabalhar forte, concentrados para fazermos uma grande partida.

PALMEIRENSES CONFUNDIRAM O ÁRBITRO?

A gente sabe que no futebol brasileiro tem essa questão, jogo estava 0 a 0, fica até um pouco pesado para o adversário falar algo pois o jogo estava empatado. Não os culpo por isso, a responsabilidade era do quarteto de arbitragem. Mas a equipe foi guerreira demais, deu gosto de ver o Corinthians jogar, fechado, maduro, superou minha ausência. A torcida inflamou de uma maneira que ainda não havia acontecido esse ano, vimos que eles estão do nosso lado sempre. Foi maravilhoso, dos males que vêm para o bem. Fomos premiados pelo gol do Jô, não só ele, mas todos nós saímos recompensados.

RESPOSTA DO CORINTHIANS

Não um cala a boca, porque imprensa e torcida formaram isso. Nós sempre trabalhamos, conversamos com vocês de maneira aberta, respeitosa. Até a gente viu por parte de alguns comentaristas coisas pesadas sobre nós, desacreditando muito. Isso nos fortalece, aquele pique a mais dentro de campo não é para provar para ninguém, é porque estamos convictos que estamos no caminho certo. O Carille vem passando uma confiança e uma tranquilidade grande, a gente sabia que iria vencer. Tem que tirar o chapéu para o Carille pelo trabalho que ele faz.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos