Gatito pega três pênaltis, vira novo herói e Botafogo elimina o Olimpia

Entre goles e conversas em um bar próximo da histórica General Severiano, dois botafoguenses calculavam a chance de classificação. Um deles, um tanto quanto otimista, esbanjava o brio do time e a maré de sorte nesses últimos meses. Outro, um tanto quanto cauteloso, sempre citando o lema de que há coisas que só acontecem com o Botafogo. Mal o segundo saberia o que estava por vir. Com Gatito Fernández sendo herói e saindo do banco para defender três penalidades, o Glorioso eliminou o Olimpia dentro dos Defensores del Chaco - após derrota no tempo real - e está classificado para a fase de grupos da Libertadores.

No primeiro tempo, o Glorioso surpreendeu com a entrada do jovem Matheus Fernandes, fechando duas linhas de quatro no setor central, com João Paulo e Bruno Silva cobrindo as pontas. Contudo, praticamente abdicou de ir atacar, tendo a possibilidade de abrir enorme vantagem se vencesse a meta do goleiro adversário. Isolados, Pimpão e Camilo ainda criaram duas chances, mas foram parados por Azcona. Foi pouco. Com maior posse de bola do Olimpia, Helton Leite fazia defesas importantes atrás, como na finalização de Ortiz.

No segundo tempo, ainda maior a falta de presença dos comandados de Jair Ventura no setor ofensivo. A troca por Gilson não qualificou as jogadas de frente, e o Botafogo contou com o relógio para tentar sair classificado. E foi cruel. Aos 34, o caldeirão veio abaixo com Brian Montenegro, que ficou de frente para Gatito - Helton saiu machucado - para igualar a decisão. Mas havia algo maior guardado para os atletas alvinegros. Tinha que ser no sofrimento. Os atletas alvinegros até fizeram cera. Pareciam saber que havia algo melhor guardado nos pênaltis.

Nas penalidades, Gatito se inspirou em sua rivalidade com o Olimpia - foi criado no rival Cerro Porteño - para despachar o rival dentro do Paraguai. Pegou três das quatro penalidades do Olimpia. Camilo, Rodrigo Pimpão e Victor Luís converteram as três penalidades do Glorioso e fizeram a festa no final.

O goleiro, antes desacreditado, sai do banco como herói. Acabou que os dois senhores do bar estavam certos. Há coisas que só acontecem com o Botafogo. Mas o brio deste elenco atual é acima de qualquer paradigma. Agora, rumo à América. O Botafogo é time de Libertadores.

FICHA TÉCNICA

OLIMPIA (1) 1 x 0 (3) BOTAFOGO

Local: Defensores del Chaco, em Assunção (PAR)

Data-hora: 22/02/2017, às 21h45 (de Brasília)

Árbitro: Julio Bascuñan (CHI)

Assistentes: Christian Schiemann e Marcelo Barraza (CHI)

Gols: Brian Montenegro (34'/2ºT),

Cartões amarelos: Fernández (OLI); Marcelo, Carli, Bruno Silva (BOT)

OLIMPIA: Azcona, Ferreira, Cañete (Bogado - 22'/2ºT), Pellerano e Giménez; Fernández (Roque Santa Cruz - 7'/2ºT), Riveiros (Mendoza - 36'/2ºT), Ortiz e Benítez; Mouche e Montenegro - Técnico: Pablo Repetto

BOTAFOGO: Helton Leite (Gatito Fernández - 16'/2ºT), Marcelo, Carli, Emerson Silva e Victor Luís; Airton (Guilherme - 40'/2ºT), Bruno Silva, João Paulo, Matheus Fernandes (Gilson - Intervalo) e Camilo; Rodrigo Pimpão - Técnico: Jair Ventura

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos