Prass sai em defesa de Vitor Hugo, Keno e Guerra após o Dérbi

Vitor Hugo, Keno e Guerra foram personagens do Dérbi que terminou em derrota do Palmeiras para o Corinthians, na noite de quarta-feira, em Itaquera. O zagueiro deu uma cotovelada em Pablo, o atacante sofreu a falta que resultou no cartão vermelho por engano para Gabriel e o meia perdeu a bola que resultou no gol de Jô. Todos foram defendidos pelo goleiro Fernando Prass, o escolhido para atender a imprensa nesta quinta.

- Eu conheço muito bem o Vitor Hugo, como vocês que cobrem o Palmeiras conhecem. É um cara muito viril, de força física absurda, mas nunca desleal. É um dos caras que mais jogam limpo no Palmeiras. Isso tu pode perguntar para qualquer um, até adversários. Eles (Vitor e Pablo) tiveram alguns confrontos dentro do campo e o Vitor teve um segundo de apagão, acabou se enrolando com o Pablo, mas nada justifica. Coisas do futebol, eu já passei por isso, já tive reações destemperadas, mas é um ponto fora da curva. Ele tem caráter exemplar - disse o camisa 1, sobre a agressão do zagueiro.

- O Vitão realmente não conseguiu dormir direito, ficou muito angustiado, não tinha com quem conversar, não tinha como fazer alguma coisa. Agora ele está com o coração mais tranquilo, porque já se desculpou, já se entenderam - acrescentou o goleiro, lembrando que Vitor gravou um vídeo para se desculpar.

Keno, por sua vez, recebeu críticas nas redes sociais por apontar para Gabriel imediatamente após ser derrubado por Maycon. Prass acredita que o atacante, assim como o árbitro Thiago Duarte Peixoto, pode ter se confundido

- Eu vi depois o lance da expulsão. Eu acho que o Keno, na hora, nem teve noção. Ele não sabe quem está puxando. Ele cai de costas para o Gabriel e para o Maycon, de frente para o juiz. Ele levanta e dá de cara para o Gabriel. Em momento nenhum ele teve a intenção de confundir o juiz, é só olhar nas imagens. Eu não vi maldade do Keno - disse.

Outro que tem sido cobrado nas redes sociais é Alejandro Guerra, que disputou apenas seu terceiro jogo pelo Verdão e foi desarmado por Maycon no contra-ataque que resultou no gol de Jô.

- Claro que o Guerra sentiu a derrota, como qualquer um. Mas se tem culpado no lance do gol o Guerra é o menos culpado. É uma sequência de erros que não cabe aqui externar. O pessoal da análise de desempenho vai esmiuçar esse e outros lances. Não tem crise nenhuma com o Guerra, ele segue tranquilo, com confiança do grupo - finalizou Prass.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos