Com goleada, Palmeiras se aproxima de time ideal para a Copa Libertadores

  • Cesar Greco/Fotoarena

O Palmeiras terá apenas mais um teste antes da estreia na Copa Libertadores contra o Atlético Tucumán (ARG), fora de casa, no dia 8 de março. Sexta-feira, contra o Red Bull, Eduardo Baptista vai escalar o time mais próximo do ideal que conseguir, já de olho nos argentinos.

Depois da derrota para o Corinthians, a vitória convincente sobre a Ferroviária fez o Palmeiras retomar a confiança e serviu para indicar, enfim, um "esqueleto" da equipe que se consolidará como titular.

O 4-1-4-1 que Eduardo Baptista aprecia não funcionou como esperado em jogos anteriores. O problema mais recorrente era a falta de auxílio dos armadores a Felipe Melo, que ficava sobrecarregado - e sempre bem marcado - na saída de bola. Resultado: sobravam chutões e a qualidade dos homens de frente acabava subutilizada.

Contra a Ferroviária, o técnico apostou no 4-2-3-1. Sem Felipe Melo, vetado devido ao profundo corte no supercílio, a dupla de volantes foi Thiago Santos e Zé Roberto. Embora esse não seja o seu ponto forte, Thiago foi bem na saída de bola, muito porque teve constante ajuda de Zé e de todos os homens de frente: Michel Bastos pela direita, Dudu pelo meio e Keno pela esquerda, além do centroavante Willian, que também voltava para ajudar.

O Palmeiras soube fazer a bola sair da defesa e chegar com qualidade aos homens mais talentosos da equipe. Não por acaso, Michel Bastos, Dudu e Keno foram muito bem e o primeiro tempo de sábado foi o melhor da equipe na temporada. Eduardo Baptista concorda, por isso é possível imaginar que ele vá manter o esqueleto da equipe, apenas trocando algumas peças.

Mina e Felipe Melo já estarão à disposição e provavelmente serão titulares já na sexta-feira. Miguel Borja, que estreou no segundo tempo contra a Ferroviária e já marcou um gol, foi contratado para ser titular e também pode aparecer entre os 11 diante do Red Bull.

Uma opção de equipe tem Fernando Prass, Jean, Mina, Vitor Hugo e Egídio; Felipe Melo e Zé Roberto; Michel Bastos, Dudu e Keno; Borja.

Em breve, Eduardo ainda voltará a contar com Tchê Tchê, que se recupera bem de lesão no ombro esquerdo, e muito provavelmente terá Alejandro Guerra melhor adaptado. Dessa forma, essa formação poderia evoluir para: Fernando Prass, Jean, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; Felipe Melo e Tchê Tchê; Michel Bastos, Guerra e Dudu; Borja.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos