No sufoco, Wagner salva e leva o Vasco à terceira fase da Copa do BR

Sem Nenê, principal nome do Vasco, coube a Wagner assumir a camisa 10 na partida do Vasco diante do Vila Nova na noite desta quarta-feira, no Serra Dourada. O duelo foi válido pela segunda fase da Copa do Brasil e a equipe comandada por Cristovão Borges era obrigada a vencer para se classificar à terceira fase - um empate levaria a decisão para os pênaltis. Os vascaínos passaram sufoco, mas venceram por 2 a 1, gol justamente de Wagner no fim.

A escolha de Cristovão Borges em colocar Andrezinho na vaga de Nenê como titular não foi a das melhores. O time do Vasco pecou com a criação no meio de campo, repetindo, de certa forma, o que acontecera no sábado passado, quando os vascaínos foram eliminados pelo Flamengo na Taça Guanabara. O treinador vem se queimando no comando da equipe recentemente.

Vale destacar, por sinal, o fato de o Vasco estar em uma sequência muito ruim de partidas como um todo. Há a dependência de jogadas isoladas para que os gols sejam marcados pela equipe. Foi desta forma, inclusive, que saiu o gol vascaíno sobre o Vila Nova. Aos 15 minutos, Henrique cruzou com perfeição da esquerda e Thalles, oportunista, mandou direto, golaço. Vasco 1 a 0.

Depois do gol, o Vasco pouco fez. E o Vila Nova, com a força de seus torcedores dentro de sua casa no Serra Dourada, foi para cima. Aos 22, Wallyson mandou forte para o gol e obrigou Martin Silva a fazer importante defesa. Oito minutos mais tarde, o árbitro Leandro Pedro Vuaden assinalou pênalti contra o Vasco após a bola tocar na mão de Gilberto. Wallyson foi na cobrança e converteu, 1 a 1.

No início do segundo tempo, o Vasco seguiu sem ter opções, enquanto o Vila Nova tentava aproveitar as oportunidades nos lances de contra-ataque. Andrezinho e Gilberto, destoando dos companheiros vascaínos em campo, foram sacados para as entradas de Escudero e Yago Pikachu, o que melhorou um pouco o sistema tático da equipe. Apesar disto, o Vasco não levava muito perigo.

Assim, lances esporádicos passaram a predominar a partida. O Vasco corria de qualquer forma para tentar evitar a cobrança por pênaltis, já que não chegou a treinar este fundamento em específico ao longo da semana. E aos 39 minutos o Wagner mostrou a estrela e selou a classificação. Para alegria dos vascaínos, que passaram um completo sufoco em campo. Desta vez a sorte estava no lado de São Januário, mas se deve trabalhar para que contra o Vitória, a partir de quarta-feira da semana que vem, os gols e a vitória saiam sem dificuldades.

FICHA TÉCNICA

VILA NOVA 1 X 2 VASCO

Estádio: Serra Dourada, em Goiânia (GO)

Data/hora: 1/3/2016 - 21h45 (de Brasília)

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)

Auxiliares: Elio Nepomuceno de Andrade Junior (RS) e Leirson Peng Martins (RS)

Renda/público: Não disponíveis

Cartões amarelos: Everton, Alemão (VIL) e Thalles, Gilberto, Henrique, Jean (VAS)

GOLS: Thalles 15'/1ºT (0-1), Wallyson 31'/1ºT (1-1) e Wagner 39'/2ºT (1-2)

VILA NOVA: Wendell, Wesley Matos, Alemão e Brunão; Manguinho, Fagner, Billy, Everton (Serrato 20'/2ºT) e Jonathan; Moisés (Hiroshi 36'/2ºT) e Wallyson. Técnico: Mazola Júnior.

VASCO: Martin Silva, Gilberto (Yago Pikachu 14'/2ºT), Luan, Rodrigo e Henrique; Jean e Douglas; Andrezinho (Escudero 14'/2ºT), Wagner e Kelvin (Guilherme Costa 30'/2ºT); Thalles. Técnico: Cristovão Borges.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos