Wenger dispara contra o árbitro após goleada: 'Isso não pode ser sério'

O técnico Arséne Wenger ficou revoltado com a arbitragem após o Arsenal ser goleado novamente pelo Bayern de Munique por 5 a 1, desta vez em pleno Emirates. Foi a sétima eliminação seguida dos Gunners nas oitavas de final da Liga dos Campeões.

Wenger corre sério risco de demissão após mais uma derrota acachapante. No entanto, o treinador não comentou sobre uma possível saída do clube londrino. Ele também não falou sobre as risadas do chileno Alexis Sánchez no banco de reservas, quando a partida já estava decidida a favor dos bávaros.

Para o treinador, o lance do pênalti marcado a favor do Bayern, que também gerou a expulsão de Koscielny, foi um absurdo.

- Lewandowski estava impedido e não foi pênalti, ainda por cima o árbitro deu o cartão amarelo e depois o vermelho. Isso não pode ser sério. Quando você vê uma atitude como essa... Eu estou completamente revoltado e sinto pelas pessoas que pagaram muito dinheiro e ver as partidas - disse Wenger, relatando o lance da penalidade, quando o jogo ainda estava 1 a 0 para o Arsenal.

A derrota por 10 a 2 no agregado foi a segunda maior da história da Liga dos Campeões. Só fica atrás para outro massacre do Bayern de Munique, desta vez sobre o Sporting por 12 a 1.

- Eu senti que nós estávamos no jogo e você nunca sabe como o Bayern iria reagir se nós fizéssemos o segundo o gol. Mas terminou assim e é difícil aceitar. É muito ruim e não reflete a qualidade da atuação. É difícil de entender o que aconteceu. Meu time produziu com muito esforço e jogou bem. A segunda parte da partida foi atrapalhada pelo juiz. Vamos manter esse espírito e jogar o próximo jogo.

Agora, o Arsenal volta suas fichas para a Copa da Inglaterra. No sábado, a equipe londrina encara o Lincoln, da Quinta Divisão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos