Com um a mais, Vasco vacila, apenas empata e decidirá vaga em Salvador

O ambiente em São Januário na noite desta quinta-feira era de festa, quase dez mil torcedores foram assistir o Vasco receber o Vitoria na volta de Nenê ao time, mas ficou devendo. Com um a mais, os cariocas empataram em 1 a 1 e vão decidir a permanência na Copa do Brasil quinta-feira que vem, em Salvador. Provavelmente, o técnico Cristovão Borges já terá Luis Fabiano à disposição e aí consiga melhorar o desempenho cruz-maltino para um nível aceitável.

No aquecimento, Cristovao Borges teve que mudar a escalação - que inclusive já tinha sido divulgada. Wagner sentiu e acabou cedendo a vaga entre os titulares para Escudero. Era esperado um bom poder de criação no meio de campo, mas o que se viu foi um time sem levar perigo e errando a pontaria.

A primeira boa chegada surgiu apenas aos 21 minutos da etapa inicial. Nenê, de volta ao Vasco após ser desfalque por lesão na coxa direita, se livrou com facilidade de Willian Farias e achou Thalles. O camisa 9 cruz-maltino obrigou o goleiro Fernando Miguel a fazer grande defesa e evitar o primeiro gol.

O jogo foi se desenrolando até que aos 31 minutos o Vitória apareceu pela primeira vez. Kieza achou Paulinho que mandou forte para o gol. A bola foi para fora, mas passou muito perto. Já nos acréscimos antes do intervalo, Euller foi expulso e deixou o Vasco com um a mais, o que, em tese, facilitaria a vida do time em campo.

Mas não foi isso que foi visto. O Vasco até voltou melhor para o segundo tempo, melhorando a criação no meio de campo. As aparições no ataque foram mais constantes, inclusive. Logo aos dois minutos, Thalles teve a oportunidade de abrir o marcador, mas exagerou na finalização e acabou isolando a bola.

Aos 15 minutos, Cristovão Borges promoveu a estreia do atacante Manga no time, o que era muito aguardado pelos torcedores do Vasco. A sorte, porém, não estava com o colombiano. Com sete minutos em campo, Manga colocou a mão na bola dentro da área e o árbitro marcou o pênalti. Aos 23, Patric foi para a cobrança e converteu, Vitória 1 a 0.

Atrás do placar com um a mais, a torcida do Vasco, que fez uma linda festa em São Januário, começou a protestar. Cristovão Borges e o presidente Eurico Miranda foram alvos de xingamentos e pedidos para que deixem o Vasco. No apagar das luzes, aos 47, Nenê sofreu pênalti, foi para a cobrança e empatou para o Vasco. Fim dos primeiros 90 dos 180 minutos da decisão pela sequência na Copa do Brasil. Ficou devendo e se repetir a atuação no jogo da volta, tem tudo para não seguir no torneio.

FICHA TÉCNICA

VASCO 1 X 1 VITÓRIA

Estádio: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)

Data/hora: 9/3/2017 - 19h15 (de Brasília)

Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)

Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)

Renda/público: R$ 327.025,00/9.266 pagantes

Cartões amarelos: Gilberto (VAS) e Willian Farias, Euller, Paulinho, Geferson, Kanu (VIT)

Cartão vermelho: Euller 46'/1ºT (VIT)

GOLS: Patric 23'/2ºT (0-1) e Nenê 47'/2ºT (1-1)

VASCO: Martin Silva, Gilberto, Rafael Marques (Jomar 15'/2ºT), Rodrigo e Henrique; Jean e Douglas; Escudero (Manga 15'/2ºT), Nenê e Kelvin (Muriqui 39'/2ºT); Thalles. Técnico: Cristovão Borges.

VITÓRIA: Fernando Miguel, Zé Welison, Kanu, Alan Costa e Euller; Willian Farias, Patric, Gabriel Xavier (Bruno Ramires 29'/2ºT) e Cleiton Xavier (David 8'/2ºT); Paulinho (Geferson intervalo) e Kieza. Técnico: Argel Fucks.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos