Emery diz que 'PSG precisa demais respeito' e ganha respaldo no clube

O PSG volta a campo neste domingo, diante do Lorient, às 17h (de Brasília), pelo Campeonato Francês, ainda de cabeça quente. É o primeiro jogo da equipe após levar de 6 a 1 do Barcelona, no Camp Nou, que a tirou das quartas de final da Liga dos Campeões. Neste sábado, o técnico Unai Emery, que passou a ser muito contestado após o jogo, afirmou que tem apoio do presidente Nasser El-Kelaïfi para seguir à frente do time da capital.

- Depois de um momento difícil como o de quarta-feira, é claro que conversamos. Nós refletimos sobre como superar este momento, e então projetamos sobre os próximos compromissos. Ele me perguntou como eu estava e como estava a equipe. Falamos para superar este momento, mas também falamos do futuro. Estamos muito motivados para tentar terminar bem a temporada ao vencer o Francês para continuar o projeto - disse, em entrevista coletiva.

O treinador garantiu estar seguro para seguir à frente do PSG. Emery assegurou que não pensou em deixar o cargo após a derrota para o Barcelona.

- Eu me tornei técnico porque sou persistente. É por isso que estou aqui hoje. Tive vários momentos ruins na minha carreira, mas se fosse desistir em cada momento ruim, eu teria desistido ainda no começo, quando comecei a treinar e perdi meu segundo jogo. Eu conheço essa profissão. Eu sei como ser forte. E eu trabalhei para superar esses momentos ruins.

No Campeonato Francês, o PSG está em terceiro, com 62 pontos, seis a menos que o líder Monaco, que venceu por 2 a 1 o Bordeaux neste sábado. O Nice, que está em segundo, empatou na última sexta-feira em 2 a 2 com o Caen.

Emery acredita ainda que o PSG precisa ser mais respeitado na Europa. O comandante não quis falar sobre a atuação do árbitro contra o Barcelona.

- Você não pode controlar as decisões do juiz, mas elas têm impacto. Quando decisões não são boas para você, você pode perder. Depois da partida em Barcelona e o que aconteceu na quarta-feira, eu acho que o PSG precisa de mais respeito na Europa. Nós vamos analisar a partida. Eu acho que o PSG já é respeitado, mas precisa de mais respeito. Eu acho que muitas coisas que aconteceram na quarta-feira não estão certas. Precisamos ganhar mais respeito. E trabalharemos para isso - disse o treinador.

O presidente do PSG, Nasser Al-Khelaifi, deu apoio ao treinador. Ele afirmou ter confiança na continuidade do projeto com Unai Emery.

- Um clube de futebol não é feito de mudanças permanentes. A força de um grande clube é manter a cabeça fria e uma unidade em tempos difíceis. A derrota não vai nos impedir de permanecer ambicioso - disse o dirigente.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos