Palmeirenses fazem passeata em homenagem a torcedor morto

Centenas de palmeirenses se juntaram em passeata para homenagear Moacir Bianchi, ex-presidente e um dos fundadores da Mancha Alviverde, assassinado com 22 tiros em emboscada no dia 2 de março. Na sexta-feira, a Polícia Militar decretou a prisão de dois suspeitos pelo crime - eles ainda não tiveram os nomes divulgados e nem foram localizados.

A passeata teve a participação de todas as torcidas organizadas do clube, como a Savoia e a TUP. O nome da Mancha Alviverde, que suspendeu atividades por tempo indeterminado após o crime, também foi entoado pelos torcedores. Eles carregavam uma faixa com os dizeres: "Moacir, símbolo de dignidade". O grito mais comum durante o trajeto foi de "olê, olê, olê, olá, Moa, Moa".

Os torcedores se reuniram pela manhã na Avenida Presidente Wilson, no Ipiranga, local em que Moacir foi assassinado. Após uma oração, foram de trem até a estação Sumaré do Metrô e caminharam até o estádio.

A morte de Moacir Bianchi evidenciou conflitos internos na maior organizada palmeirense. A Polícia investiga o possível envolvimento de facções criminosas no caso. Nesta semana, uma nota assinada por subsedes e diversos líderes da Mancha informa que a atual diretoria se comprometeu a renunciar aos cargos e que em breve a torcida retomará suas atividades.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos