Eurico ataca gestão Dinamite e critica opositores que atuam 'contra o Vasco'

Eurico Miranda voltou a atacar seus opositores. No programa ''Bola da Vez'' da ESPN Brasil, o presidente do Vasco disparou contra a gestão anterior, comandada por Roberto Dinamite. Ao explicar porque não foi para a Sibéria, como prometeu caso o Cruzmaltino fosse rebaixado em 2015, Eurico explicou a situação em que recebeu o Vasco das mãos de Roberto e que o clube está com as contas pagas em dia:

- Se eu fosse para a Sibéria, o Vasco fechava. Eu não fui, pois o Vasco até hoje precisa de mim. Precisa de alguém que se doe, que queira dar de si e que, modéstia a parte, tenha competência para tal. A primeira coisa que tive que fazer quando voltei ao Vasco, foi pagar R$ 12 milhões em impostos, sem ter dinheiro em caixa, para poder ter certidão (negativa de débitos, que possibilita o acordo com a Caixa). O Vasco está rigorosamente em dia com as certidões.

Criticado por torcedores, Eurico enfrenta resistência também dentro do clube. O presidente diz que não vê problema em ter oposição, mas questiona os opositores que jogam contra o Vasco, citando o motivo da saída do clube do Ato Trabalhista:

- Eu não tenho problema de oposição, qual oposição? Eu nunca impedi que fizessem coisas pelo Vasco, eu impedi coisas que fizessem coisas contra o Vasco. E quando eu disse que era candidato, foi para acabar com os boatos de que fulano ou beltrano iam se candidatar. O dia em que o Vasco não precisar mais de mim, eu não serei candidato. Um advogado dito vascaíno, da oposição, pediu para que o Vasco saísse do Ato Trabalhista pois o clube já tinha muito tempo no ato, o que é mentira. O desembargador retirou o Vasco do ato e cabe recurso que está sendo tentado.

Um dos principais ataques ao mandatário vascaíno é em relação à presença de seus filhos, Eurico Brandão e Álvaro Miranda, trabalhando no clube. Sobre isso, Eurico explica que não é nepotismo e que os dois são os melhores disponíveis pois aprenderam com o próprio presidente:

- Euriquinho e Álvaro são os melhores de todos, pois aprenderam comigo. As pessoas não podem levar para esse lado, atacando a família Miranda. Nepotismo é em função pública, mas o Vasco é uma instituição privada.

Eurico Miranda ainda explicou que não tem problema com nenhum clube, mas que não aceita a postura de equipes como o Flamengo, maior rival do Vasco, na relação com a FERJ. Além disso, garantiu que se os quatro grandes se unissem, conseguiriam mudar a federação:

- Eu nunca tive problema com nenhum clube. Agora, não vai querer prevalecer a vontade dele (Flamengo) contra a geral. Não concorda com a postura da Federação? Vai lá e coloca um candidato para concorrer à presidência. Se os quatro clubes grandes se juntarem, nenhum clube pequeno irá derrotá-los.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos