Ceni vê São Paulo em risco e espera encontrar time para fases decisivas

Os desfalques ligaram o sinal de alerta no São Paulo. Após o empate por 1 a 1 com o Botafogo nesta quarta-feira, pelo Campeonato Paulista, o técnico Rogério Ceni deu um diagnóstico preocupante sobre a situação do time, que sofre com baixas no momento em que as competições estão afunilando. O treinador citou a maratona de jogos decisivos que o time terá pela frente nos próximos dias e espera encontrar soluções antes, a começar pelo clássico contra o Corinthians, no próximo domingo, no Morumbi.

- A partir de abril, depois de rodar os jogadores, teremos só jogos decisivos. Com Sul-Americana, Copa do Brasil e Deus queira que as finais do Paulista. Aí vamos definir um time base e fazer as substituições de acordo com o que a gente tem, com o cansaço. Iniciamos uma temporada com time enxuto, mas não estávamos perdendo jogadores. Quando perdemos três para seleção, perdemos mais. Vamos assim, com esse grupo reduzido, para buscar a classificação e analisar melhor o que fazer na próxima fase, inscrevendo ou trazendo outro jogador - afirmou o treinador., citando os duelos contra Defensa Y Justicia (ARG), pela Sul-Americana, e Cruzeiro, pela Copa do Brasil.

Contra o Botafogo, Ceni não teve Buffarini, Cueva e Pratto em suas seleções, além do goleiro Sidão, os zagueiros Maicon e Rodrigo Caio e o volante Cícero, machucados. Para piorar, no jogo o treinador perdeu Bruno, que deve ficar fora dos próximos jogos. Além disso, Lyanco está de partida para o Torino (ITA).

Em contrapartida, Ceni espera a chegada de reforços. O primeiro será o lateral-esquerdo Edimar, do Cruzeiro. Ele faz exames médicos nesta quinta-feira antes de assinar contrato de empréstimo até o fim do ano.

Confira abaixo a entrevista coletiva do treinador do São Paulo:

O jogo

Uma bola na trave, uma chance com o Araruna que escorregou e dominamos totalmente o primeiro tempo. No segundo, desde o começo, não sei porque não ficamos com a bola. O Botafogo voltou melhor, tínhamos uma bola em cima da linha que perdemos com o Nem e ninguém fez a falta, tomamos o gol. Depois o time se equilibrou, teve mais chances com o Chavez, correu, lutou e jogou bem diante dos desfalques. Todos se esforçaram bastante. Os erros precisamos corrigir, não mantivemos a vantagem de novo. Voltamos a jogar bem, mas não de forma suficiente para ganhar.

Renan Ribeiro

Teve pouco trabalho hoje. Duas bolas cruzadas e a do gol, que foi indefensável. Ele vem bem, crescendo, trabalhando e ganhou as chances como os outros tiveram. Não teve falha nenhuma, mas foi pouco acionado.

Lyanco

Não passaram nada para mim. Se tivesse em condição de jogo, seria inscrito. Se o clube achou uma boa proposta... Não entro nesse mérito. Ninguém confirmou nada para mim. Estamos no mercado para compor o elenco, situações simples e salários condizentes com o clube. Vamos tentar reforçar assim, mas logicamente não para os próximos jogos. Agora aguardamos o Maicon, que treinou, e o Rodrigo.

Tabu no clássico

Tabu contra o Corinthians no Morumbi pelo Paulistão, desde 2007: "Mas quantos jogos? Não sabe? Então eu digo que não perdemos para o Liverpool desde 2005. Tem que falar o número de jogos, senão não consigo fazer essa comparação".

Preocupação com o time

Caiu a média de gols feitos, caiu a média de gols sofridos. São 14 jogos oficiais e só duas derrotas, Audax e Palmeiras. O que precisamos é vencer mais para ter uma pontuação maior. Santos e São Paulo correm riscos e ainda brigam pela classificação.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos