Polícia confirma cinco prisões por morte de torcedor do Botafogo

A megaoperação realizada pela Polícia do Rio de Janeiro culminou na prisão de cinco integrantes de uma organizada em referência ao Flamengo suspeitos de envolvimento na morte do botafoguense Diego Silva dos Santos, de 28 anos. Em entrevista coletiva concedida no início da tarde desta quinta-feira, o delegado Fábio Cardoso detalhou que outros três suspeitos de participar do crime estão foragidos.

Na operação, que visava cumprir 20 mandados de prisão temporária, Cardoso detalhou como a postura dos membros da organizada era se vangloriar pela morte do torcedor:

- Ele deixou claro que a ideologia que prevalece na torcida não é ir para torcer, é ir para brigar.

Em uma das imagens obtidas pela polícia, o presidente da organizada Torcida Jovem do Flamengo aparecia com a camisa de Diego amarrada ao seu tornozelo, como uma espécie de troféu:

- Isso aí a gente conseguiu apurar que é como se fosse um gesto de uma demonstração da vitória, que venceu o opositor. É como se fosse um troféu. Então, ele agride, faz a pessoa desmaiar ou mata a pessoa como foi o caso do Diego, arranca a camisa dele e depois amarra na perna, como um gesto, um significado, como se fosse um troféu pela vitória, naquela guerra, que nesse caso foi matar um botafoguense.

Entre os cinco presos até as 12h desta quinta-feira estão Rafael Camelo, diretor da Torcida Jovem do Flamengo, e outros quatro integrantes da organizada: Vitor Portêncio, Adonai Santos, Rogerio Silva Guinard e Herbert Sabino de Paula. Segundo o delegado Daniel Rosa, um dos detidos guardava a camisa do botafoguense:

- O acusado Vitor permanecia com a camisa da vítima suja de sangue na casa dele, 45 dias após o crime. Isso é uma prova muito importante. Esses integrantes de torcida guardavam camisetas, bandeiras e outros ícones como prêmios - destacou o delegado Daniel Rosa, um dos responsáveis pelas investigações da Divisão de Homicídios.

De acordo com Rosa, Rogerio foi um dos responsáveis por enfiar os espetos de churrasco na vítima, após roubá-los de ambulantes que trabalhavam nos arredores do Nilton Santos. Todos os oito suspeitos da morte de Diego Silva dos Santos já tinhamm passagens anteriores na polícia, por brigas de torcida, segundo o delegado Daniel Rosa:

- Investigamos 2,1 mil pessoas que integram a Torcida Jovem do Flamengo. Algumas delas já tinham mandados de prisão em aberto e estamos na rua a procura por eles, mas eles não têm relação direta descoberta com o crime por exemplo. São mandados em aberto por tráfico de drogas, homicídios, pensões alimentícias e outros crimes.

Entre os suspeitos foragidos estão Wallace Motta, presidente da TJF, Rafael Maggio Afonso, vice-presidente da organizada, e Fábio Pinheiro. Operação ainda encontrou na residência de integrantes de organizada quantia em dinheiro, morteiros, soco inglês e acessórios da Torcida jovem do Flamengo.

Os oito suspeitos de matar Diego Silva dos Santos teriam golpeado a vítima com um espeto de churrasco roubado. O torcedor morreu de hemorragia interna e externa.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos