Relembre jogadores que seguiram carreira nos Estados Unidos

Schweinsteiger não é o único jogador que optou por seguir carreira nos Estados Unidos. A longa lista conta com atletas como Pelé, que defendeu o New York Cosmos, clube que comprou jogadores badalados no mundo do futebol entre as décadas de 70 e 80. Veja alguns atletas que conseguiram prestígio no futebol norte-americano.

Pelé

No dia 15 de junho de 1975, Pelé fazia sua estreia no New York Cosmos, aos 34 anos, com status de atleta mais bem pago do mundo. O contrato de três anos, no valor de 2,8 milhões de dólares foi justificado pelo desempenho do atleta. Logo na sua estreia, Pelé marcou gol de falta e deu assistência para o segundo no empate por 2 a 2 com o Dallas Tornado. Em seu último ano pelo clube norte-americano, Pelé fez parte da conquista da Liga Norte-Americana de Futebol. No dia 1 de junho de 1977, o jogador encerrou sua carreira na partida contra o Santos, onde atuou um tempo em cada equipe e marcou o primeiro gol da vitória do New York Cosmos por 2 a 1. Fora de campo, 10 milhões de pessoas assistiram a estreia de Pelé pela TV, um recorde da TV estadunidense. Além disso, o público do Cosmos nas partidas em casa triplicou.

Franz Beckenbauer

Em 1977 era a vez de Kaiser brilhar. Em seu primeiro ano no New York Cosmos, o meia foi eleito o melhor jogador dos Estados Unidos, superando Pelé. Os dois ainda puderam atuar juntos em algumas partidas, antes de Pelé se aposentar. Ainda em 1977, Beckenbauer foi campeão estadunidense, título que se repetiria em 1979 e 1980. Além de ser considerado o melhor jogador do futebol alemão, também foi um dos seis melhores da história do futebol. No final de 1980, o atleta voltou á Alemanha e escolheu o Hamburgo, onde conquistou a Bundesliga na temporada de 1981-1982.

Carlos Alberto Torres - Capita

Após breve passagem pelo Flamengo em 1977, Capita viajou rumo ao New York Cosmos e pôde atuar ao lado de Pelé e Beckenbauer. No time, o lateral-direito conquistou diversos campeonatos nacionais e se tornou ídolo no país, inclusive conquistou espaço no National Soccer Hall of Fame. Em 1981, Capita assinou com o California Surf e atuou no clube durante uma temporada. Para se despedir do futebol, Carlos Alberto voltou ao Cosmos em 1982 e pendurou as chuteiras em um amistoso contra o Flamengo. Em outubro de 2016, o Capitão do Tri, faleceu após sofrer um infarto fulminante.

Johan Cruyff

Considerado o maior futebolista neerlandês da história e um dos maiores de todos os tempos, Jopie deixou o Barcelona para assinar com o Los Angeles Aztecs, em 1979, onde atuou por apenas uma temporada. No ano seguinte, assinou com o Washington Diplomats. Famoso por ser mal humorado - Certa vez, após o técnico do Diplomats ter desenhado um esquema tático, o jogador se levantou, apagou o quadro negro e disse "é claro que faremos tudo diferente disso" -, Johan Cruijff também atuou uma vez com a camisa do New York Cosmos, em um amistoso de exibição.

Marinho Chagas

Conhecido pelo comportamento irreverente e por ser polêmico dentro e fora de campo, as habilidades de Marinho, como a facilidade em avançar livremente pela lateral do campo até o ataque, sendo considerado um grande ala, chamaram a atenção de clubes estadunidenses.

Em 1979, Bruxa chegou no New York Cosmos e no ano seguinte assinou com o Fort Laurerdale Strikers, onde atuou por uma temporada. Em 1986, o lateral-esquerdo, voltou para os EUA e defendeu o Los Angeles Heat, mas sem muito sucesso nas terras norte-americanas, encerrou sua carreira no Harlekin Augsburg (ALE).

Giorgio Chinaglia

Depois de ficar sete anos no Lazio (ITA), o atacante italiano assinou com o New York Cosmos em 1976 e ficou até 1984. Giorgio se tornou o maior artilheiro da história do clube, conquistou quatro títulos nacionais e três Trans-Atlantic Cup, além de ter se tornado famoso no mundo inteiro. Após o fim do Cosmos, em 1984, o italiano comprou a equipe e a transformou em um time de showbol que não durou muito. No dia 1 de abril de 2012, Giorgio Chinaglia faleceu por conta de problemas cardíacos.

Juninho

Em dezembro de 2012, Juninho assinou com o New York Red Bulls. Seu primeiro gol no clube foi marcado no dia 17 de fevereiro de 2013, após passe de Thierry Henry. Em julho do mesmo ano, o jogador assinou rescisão com o time estadunidense, alegando relação ruim com o técnico Mike Petke e baixo rendimento. Ao deixar o Red Bulls, Juninho voltou para o Vasco.

Thierry Henry

Em julho de 2010, Henry aceitou jogar nos Estados Unidos, que buscava grandes jogadores para divulgar o torneio nacional. Com a camisa do New York Red Bulls, o atacante se tornou astro da Major League Soccer, ao lado de David Beckham, que atuava no Los Angeles Galaxy.

David Beckham

O meia é o único jogador inglês a ser campeão nacional em quatro países diferentes, com títulos pelo Manchester United, Real Madrid, Los Angeles Galaxy e Paris Saint Germain. Beckham chegou nos Estados Unidos em janeiro de 2007 para defender o Los Angeles Galaxy e foi recebido com muito destaque pela mídia local, dirigentes e torcedores do time. No dia 15 de agosto, o jogador marcou seu primeiro gol e deu uma assistência para o segundo gol da equipe na vitória por 2 a 0 em cima do DC United, pela Superliga. O jogador retornou ao time estadunidense mais duas vezes. Sua despedida oficial foi na partida contra o Houston Dynamo, valendo título da MLS. Após sua saída foi especulado até no glorioso Botafogo, mas assinou com o PSG.

Carlos Valderrama

O maior jogador colombiano de todos os tempos também é conhecido pela cabeleira loira. Após defender o Junior Barranquilla (COL) durante dois anos, El Pibe assinou com o Tampa Bay Mutiny (EUA) em 1996, em seguida passou pelo Miami Fusion, voltou ao Mutiny e encerrou carreira no Colorado Rapids, em 2004, quando já havia completado 42 anos. Em sua carreira pelos Estados Unidos, Valderrama se tornou um dos grandes ídolos da Major League Soccer.

Marco Etcheverry

El Diablo, como ficou conhecido, é considerado o maior jogador boliviano de todos os tempos. O atacante atuou em diversos clubes da América do Sul, mas foi nos Estados Unidos que conquistou sucesso. No DC United, o boliviano jogou durante oito anos e conquistou diversos títulos. Teve saídas por empréstimos, mas permaneceu no clube estadunidense até 2003, quando retornou à Bolívia para atuar no clube onde se formou como profissional, o Bolívar.

Guillermo Barros Schelotto

Atualmente técnico do Boca Juniors, El Mellizo (O Gêmeo), teve bela passagem pelo Columbus Crew (EUA), entre 2007 e 2010. Inclusive participou do primeiro título nacional do clube. Já em sua primeira temporada, foi eleito o melhor jogador do mês de julho da MLS. 2008 foi o ano de glória do jogador e do clube. Na decisão da Liga, o argentino entrou em campo como o melhor jogador do campeonato, quando construiu o segundo maior número de passes para gol em apenas uma temporada. Em 2009, a equipe terminou como a mais regular da temporada, levando o MLS Supporters Shield. Em 2010, seu contrato foi encerrado após a diretoria do Crew achar que o time não precisava mais do atleta, que estava com 37 anos.

Kaká

No dia 1 de julho de 2014, Kaká assinou com o Orlando City Soccer Club durante três temporadas. Fez sua estreia contra o New York City, durante a primeira rodada da MLS e marcou o único gol do time no empate em 1 a 1. Nos mesmo ano, o meia foi considerado um dos melhores jogadores da Liga. em 2017, quando participaria de sua terceira Major League Soccer, Kaká atuou por apenas 11 minutos na estreia do Orlando City pela competição. Uma lesão, tirou o jogador dos gramados.

David Villa

Em junho de 2014, David Villa assinou com o New York City por três temporadas. Antes de fazer sua estreia pelo clube, foi emprestado ao Melbourne City e, apesar de ter assinado um contrato de dez partidas, voltou ao New York City, após quatro jogos, como capitão do time. Em 2016, o atacante foi eleito o jogador mais valioso da temporada. Aos 35 anos, Villa realiza sua segunda temporada pelo clube e carrega consigo participação na ida do New York City aos playoffs pela primeira vez.

Andrea Pirlo

Com dois títulos da UEFA Champions League, pelo Milan, e integrado ao New York City em julho de 2015, Pirlo é considerado um dos três "jogadores designados" permitidos pela liga. Sendo assim, o meia recebe um salário maior que a maioria dos atletas. Na última temporada, o jogador recebeu US$ 5,6 milhões. Ainda sem título pelo clube, Pirlo pretende encerrar carreira na Itália.

Obafemi Martins

Em 2013, o atacante foi vendido para o Seattle Sounders por cerca de 4 milhões de euros. No time, onde atuou durante três anos, participou de 80 partidas e marcou 40 gols. O jogador, que é um dos principais nomes da Seleção Nigeriana, ainda conquistou uma Major League Soccer pelo clube de Seattle, em 2014.

Tim Cahill

Uma das maiores estrelas do futebol australiano a autor de um dos gols mais bonitos da seleção de seu país, Tim Cahill deixou o Everton em 2012 para defender o New York Red Bulls. No time titular, o meia se tornou um dos principais nomes ao lado de Thierry Henry. Na temporada em que assinou contrato de aproximadamente 1 milhão de euros com o clube norte-americano, conquistou o título da MLS Supporters' Shield.

Bastian Schweinsteiger

Nesta terça-feira, o campeão da Copa do Mundo de 2014, pela Alemanha, acertou sua saída do Manchester United, depois de certo tempo sem receber oportunidades no clube, para atuar no Chicago Fire. O contrato inicial do jogador com o clube que disputa a Major League Soccer tem duração de um ano.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos