Neymar explica silêncio e diz que vive melhor momento da carreira

Escolhido novamente capitão da Seleção Brasileira para o duelo contra o Paraguai nesta terça-feira, na Arena Corinthians, cada vez mais decisivo no Barcelona (ESP), Neymar vive o melhor momento de sua carreira. A avaliação é do próprio jogador, que fez essa afirmação nesta segunda-feira, em entrevista coletiva no palco da partida válido pelas Eliminatórias. Ele falou ao comentar de sua relação com Messi no Barça, e uma possível disputa pelo título de melhor jogador do mundo.

- Ele é um cara que me ajudou muito nesses quatro anos de Barcelona, principalmente no começo quando tive dificuldade. Um cara que teve não sei quantas Bolas de Ouro chegou do meu lado e falou "se acalma, faz seu jogo, as coisas vão dar certo". Você tem receio de falar com seu ídolo, o cara que admira. Hoje temos relação maravilhosa, somos amigos, isso ajuda em campo. Eu fico feliz quando ele faz um gol, dá um passe... O Suárez também, que é um grande craque. Ajudamos um ao outro. E fico também muito feliz pelo momento que estou vivendo. Acho que é o melhor momento da minha carreira, não de números, mas de futebol. Espero manter essa média ajudando meus companheiros - afirmou o craque da Seleção.

Neymar também falou sobre a atual fase da Seleção Brasileira. Ele conversa com o craque argentino sobre o ótimo momento, de oito vitórias consecutivas com o técnico Tite.

- Não só dele (Messi), a Seleção vem chamando a atenção de muita gente. É um time que passou a jogar bom futebol, marca bem, sai jogando... Quando você encontra uma equipe de qualidade que quer jogar futebol, é difícil vencer. Isso vem chamando a atenção de todo mundo - definiu.

De acordo com o jogador, a evolução aconteceu porque o Brasil voltou a jogar o futebol que está acostumado. Ele usou o termo "forma brasileira".

- Sempre falei que nunca existiu Neymardependência, é a Seleção Brasileira. Nossa equipe se estiver focada é a melhor. Nós sabemos disso, mas temos humildade de reconhecer os adversários e sabemos que temos que jogar para isso. Vínhamos tentando, mas não estava encaixando uma peça ou outra. Chegou o professor e conseguiu nos moldar da forma brasileira. Passamos a jogar futebol, não mudaram tantos jogadores, foi mais o jeito de jogar. Aí começam a aparecer as qualidades, sempre disse que a Seleção tem jogadores de qualidade - analisou o camisa 10 da Seleção.

Ele também explicou por que decidiu ficar um tempo sem conceder entrevistas na Seleção Brasileira. Ele não falava desde a Olimpíada.

- Eu preferi não falar porque tudo o que eu falava muitas pessoas levavam para o lado negativo, acabava machucando a mim, minha família e meus companheiros. Decidi baixar a poeira e só jogar futebol. Quando a gente sai para falar alguma coisa, podem levar para o lado errado, não da maneira como a gente quer ou pensa. Isso acaba me deixando triste. Além de ídolos, somos seres humanos. Tem o lado humano, ficamos chateados, tristes, mas isso já passou, estou aqui falando - disse Neymar.

O atacante será titular e capitão da Seleção contra o Paraguai nesta terça-feira na Arena Corinthians. Confira outros trechos da entrevista do craque:

Percebeu que precisava mudar de postura?

A gente recebe muitos conselhos durante a carreira, mas aprende de verdade quando se machuca ou faz a coisa errada. Eu já passei por muita coisa, tentei discutir em momentos em que não era necessário, levei amarelo, vermelho, prejudiquei companheiros. Mas com o tempo você fica mais maduro. Hoje só penso em ajudar meus companheiros, fico mais centrado em campo, me preocupo com o que o professor passa, deixo de lado as provocações, as pancadas... Quando o jogador brasileiro está focado, é difícil parar.

Neymar amadureceu?

Estou ficando cada vez mais velho. Ele nos ajudou em todos os aspectos, de todas as formas dentro da Seleção, em campo principalmente. A gente fica feliz quando as coisas vêm dando certo, o time joga bem, faz apresentações que agrada a todo o povo brasileiros, aos nossos familiares e a nós, que treinamos sempre para fazer a melhor apresentação possível. Ficamos felizes de as coisas estarem dando certo. O professor Tite encaixou muito bem com a Seleção. Temos que seguir assim, com os pés no chão, jogando futebol e sendo felizes.

As mudanças na Seleção ajudaram?

A mudança foi grande, passamos a ter confiança para buscar nosso jogo, nossa identidade. A Seleção Brasileira não importa como ela esteja, sempre será uma das principais seleções. Sabemos como é carregar essa camisa e que temos que trabalhar para isso, não adianta ficar só na fala, a camisa não joga sozinha, é preciso demonstrar em campo. A gente vem treinando forte, jogando bem e espera fazer uma grande partida amanhã também.

É chegada a hora de ser o melhor do mundo?

Essa é uma coisa que não me sinto confortável para falar, nem gosto. São dois grandes jogadores, craques que estão há dez anos mantendo um nível gigantesco. Caras que eu admiro, e um que tenho ao meu lado todos os dias, é o melhor com quem já joguei. Só quero ser melhor todos os dias, me superar a cada dia, não ser melhor que ninguém.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos