'Rodado', Thomaz diz que volta ao São Paulo no auge da carreira

Dezenove anos e 18 clubes. Essa é a distância do início de Thomaz no social do São Paulo para sua volta ao clube no qual iniciou a formação como jogador em 1998. Apresentado nesta segunda-feira depois de fazer a estreia contra o Linense no último domingo, o meia de 30 anos disse que chega no auge da carreira e tentou justificar sua aparição tardia para o cenário do futebol brasileiro.

- Jogo tanto por dentro quanto pelas beiradas. Lá jogava tanto por dentro quanto por fora. Chego no meu auge, tanto da forma física, técnica, quanto com experiência para ajudar o São Paulo - afirmou o novo camisa 19 do time.

- É uma alegria imensa poder voltar ao clube que me formou, e onde decidir que queria ser jogador. É uma alegria imensa. E o objetivo é conquistar títulos, pois o clube necessita. Estou chegando para somar - completou Thomaz.

Depois de passar pelo social do São Paulo, Thomaz jogou no Corinthians, Juventus, Internacional, Grêmio Barueri, Chiasso (SUI), Avaí, Rio Claro, Ventura C. Fusion (EUA), Imbituba, Caxias do Sul, Hercílio Luz-SC, Marcílio Dias, Audax-SP, Treze-PB, Internacional de Lages, Brasiliense e Jorge Wilstermann (BOL), do qual foi contratado. Por que tanta mudança?

- Depois da Copa São Paulo, fui para o Inter e fui logo para a Europa. Aí perdi mercado de clubes grandes, tive que passar por times menores. E na Bolívia me firmei, porque pude jogar dois anos, e veio a vitrine, que é a Sul-Americana, Libertadores - afirmou o jogador, que tem naturalização boliviana.

- Eu me nacionalizei em fevereiro porque fui convidado para jogar na seleção, mas ainda parece que tem uma lei da Fifa de só poder ser chamado depois de cinco anos. Então não sei como irão fazer, se vão pedir autorização à Fifa - explicou o meia.

Thomaz tem 30 anos e assinou contrato de três temporadas pelo São Paulo, que pagou 80 mil dólares (cerca de R$ 250 mil) para tirá-lo do time boliviano. Ele chamou a atenção principalmente contra o Palmeiras, pela Libertadores este ano, no Allianz Parque. E agora admitiu que foi o jogo de sua vida.

- Com certeza foi (risos).

Confira outros trechos da entrevista de Thomaz:

Copa Sul-Americana

Campeonato internacional tem uma dinâmica mais rápida, pegada mais forte com argentinos, uruguaios. Disputei duas Sul-Americanas na Bolívia, uma Libertadores. Espero trazer essa experiência para ajudar o São Paulo.

Adaptação

Fiz apenas dois jogos, ainda estou conhecendo meus companheiros para ajudar o São Paulo. Cueva é um grande jogador, eu vim para somar e me preparar para ajudar.

Situação física

Depois do jogo contra o Palmeiras, tive uma fratura no dedo, passei por cirurgia. Então fiquei tempo sem jogar. Mas me coloquei à disposição, quero ajudar rápido.

Mensagem de Pato nas redes sociais

Pato é um amigo, a gente jogou no Internacional. Fiquei feliz dele ter comentado, dado uma moral pra mim. É um grande jogador. E o Edimar espero que se recupere rápido para nos ajudar.

Parte social do São Paulo

Na minha época era Denilson, Rogério sempre. Depois o Kaká estourou. Foram jogadores que tive como referenciais. Uma alegria imensa voltar. Tentar repetir o mesmo sucesso que eles tiveram aqui.

Chances de ganhar do Palmeiras aumentam?

As chances aumentam muito, jogadores de muita qualidade. Estamos treinando forte, tentando assimilar o mais rápido possível. Espero me adaptar o mais rápido, e ajudar ao máximo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos