Após empréstimos e 'quase ida' a Munique, zagueiro vê contrato com o Verdão perto do fim

O zagueiro Luiz Gustavo está vivendo seus últimos dias como jogador do Palmeiras, mas já não defende o clube desde 2012, quando foi promovido ao elenco profissional e disputou quatro partidas. Satisfeito com a experiência que ganhou em três anos de empréstimo ao Vitória e um ano no Avaí, o jovem de 23 anos atualmente defende o Oeste e verá seu contrato com o Verdão chegar ao fim em dezembro deste ano.

- Sei que meu vínculo com o Palmeiras se encerra neste ano e estou tranquilo. O clube tem investido em contratações, montou um plantel grande para a temporada. Fico feliz pelas experiências que tive nos clubes que pude jogar por empréstimo. Consegui ajudar o Vitória e o Avaí a subirem para a Série A, e essas foram conquistas bastante importantes para mim - disse.

- Estou tendo uma sequência boa aqui no Oeste, especialmente nessas últimas rodadas do estadual. Vejo o Oeste consolidado na Série B do Brasileirão, pois já vai para o seu quinto ano seguido na competição, mas acredito que em breve pode brigar também para alcançar a Série A. Fico feliz por mostrar meu futebol aqui e quero continuar ajudando o time ter um desempenho defensivo bacana na sequência do ano - acrescentou.

Realizando um bom início de temporada, o zagueiro por pouco não mudou de país no mês de janeiro. O jovem jogador despertou o interesse do 1860 Munique e chegou a acertar todos os detalhes para atuar pelo clube alemão. No entanto, a negociação acabou melando. Todavia, Luiz tem outras possibilidades de jogar futuramente no Velho Continente, visto que também possui cidadania italiana.

- Sei que jogar na Europa é um sonho pra todo jogador e também penso nessa possibilidade para algum momento da minha carreira, até pelo fato da dupla cidadania facilitar um pouco para mim. Porém, prefiro focar no momento atual com a camisa do Oeste e depois ver o que pode acontecer. Infelizmente, a possibilidade de jogar na Alemanha não se concretizou, mas estou animado pelo Oeste me dar a chance de defender o clube e tenho me dedicado para ajudar a equipe em todas as partidas. Atuo como zagueiro, mas tenho facilidade de jogar nas laterais e na primeira linha do meio-campo. Penso que essa característica de ser versátil me ajuda bastante dentro de campo, pois consigo me adaptar rapidamente a qualquer esquema tático. Foi assim no Avaí, e quero continuar exercendo bem todas essas funções - concluiu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos