São Paulo não sofre gols, mas só empata na estreia da Sul-Americana

Essa crônica poderia ter sido escrita no papel entregue por Rogério Ceni a Lucas Pratto no primeiro tempo, tão pomposa era o "documento". Brincadeira à parte, nem a hilária cena foi capaz de dar brilho ao São Paulo para bater o modesto e fraco Defensa y Justicia, na estreia da Copa Sul-Americana nesta quarta-feira, em Buenos Aires. O papel não estava em branco, mas o placar ficou: 0 a 0 no jogo de ida.

Eu bem que poderia ter escrito sobre gols e belos lances, pois os argentinos permitiram. No entanto, Wellington Nem desperdiçou as duas grandes oportunidades que o São Paulo teve, ambas no primeiro tempo. Na cara do goleiro. Não pode.

Neste momento, a equipe de Ceni, ainda sem as instruções do bilhetão, era melhor e ficava perto do gol. Mas as coisas começaram a mudar a partir do intervalo, ironicamente.

Com a sensação nítida até para quem ficou no Brasil da fragilidade do Defensa, Ceni tirou um zagueiro (Breno), abrindo mão do espelhado esquema 3-5-2, e lançou um meia (Shaylon), ficando com um 4-3-3 bem ofensivo. Na teoria. Na prática, os jogadores passaram longe de fazer a leitura correta de jogo e os donos da casa cresceram ao ponto de permanecerem no campo de ataque por muito tempo. Foram melhores.

A situação se complicou ainda mais com a expulsão de Buffarini. Cantada. improvisado na esquerda, o lateral argentino ficou pendurado com cinco minutos de jogo. Ficou 69 minutos em campo pendurado e mesmo assim Ceni, ao lançar o lateral canhoto Júnior Tavares na vaga de Chavez, manteve Buffa em campo. O camisa 18 não teve a mesma sorte contra o adversário de sua estreia e primeiro gol no profissional.

Para o São Paulo celebrar, pelo visto ontem, é bem possível que o time goleie os argentinos na volta, dia 11 de maio, no Morumbi. O Defensa é muito fraco. Outra coisa: a defesa foi muito bem. Tão criticado pela torcida, Lucão teve uma atuação praticamente impecável. São três jogos sem sofrer gols do Tricolor. Para quem sofria tanto...

São também sete jogos invictos, embora sejam cinco empates e apenas duas vitórias. Mas o importante é que a situação está controlável.

No sábado, novo compromisso decisivo contra o Linense. Desta vez, é bom que os jogadores assimilem melhor as instruções do treinador. Seja em bilhetinho ou bilhetão.

FICHA TÉCNICA

DEFENSA y JUSTICIA 0 X 0 SÃO PAULO

Local: La Fortaleza, Lanús (ARG)

Data-Hora: 5/4/2017 - 19h15

Árbitro: Jesús Valenzuela (VEN)

Auxiliares: Luis Sanchez (VEN) e Tulio Moreno (VEN)

Público/renda: Não disponíveis

Cartões amarelos: Castellani (DYJ), João Schmidt (SAO)

Cartões vermelhos: Buffarini, aos 29'/2ºT (após o 2º amarelo)

Gols: -

DEFENSA Y JUSTICIA: Gabriel Arias; Hugo Silva, Bareiro e Alexander Barboza; Rivero, Jonás Gutiérrez, Leonel Miranda, Castellani (Elizari, aos 17'/2ºT) e Delgado; Bouzat (Kaprof, aos 33'/2ºT) e Stefanelli (Andrés Ríos, no intervalo). Técnico: Sebastián Beccacece.

SÃO PAULO: Denis; Lucão, Breno (Shaylon, no intervalo) (Wellington, aos 33'/2ºT) e Rodrigo Caio; Araruna, Jucilei, João Schmidt, Wellington Nem e Buffarini; Chavez (Júnior Tavares, aos 23'/2ºT) e Pratto. Técnico: Rogério Ceni.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos