Ceni rebate críticas, exalta Lucão e vê São Paulo pronto para jogos

O técnico Rogério Ceni deixou o Morumbi neste sábado externando sentimentos opostos. Por um lado, saiu feliz com goleada de 5 a 0 sobre o Linense, que colocou o time nas semifinais do Campeonato Paulista. Exaltou alguns jogadores individualmente, mas também mandou recado para críticos, como os que questionaram sua decisão de manter em campo o lateral Buffarini na última quarta-feira contra o Defensa y Justicia (ARG). O argentino foi expulso no duelo pela Copa Sul-Americana.

Ceni começou falando sobre a atuação do time, e disse que o São Paulo chega pronto para competir de igual para igual com os grandes. Citou o Cruzeiro, adversário da próxima quinta-feira, na Copa do Brasil.

- Meu elenco não é dos mais experientes, mas rodamos bastante para jogar de igual para igual com times mais experientes, folhas de pagamento mais altas, com três por posição. Espero que agora consigamos ter uma competição de igual para igual com esses, como o Cruzeiro - afirmou Ceni.

- Hoje o time jogou bem. Não tão bom como no último jogo contra o Linense, onde tivemos números superiores que hoje. Mas como o importa é o resultado, no futebol, colocamos como excepcional. Mas a da semana passada foi tão boa ou melhor que essa, os números comprovam isso. E a partida da Argentina foi fraca - disse, sobre a goleada.

Ceni não ficou muito satisfeito quando teve de tocar no nome de Buffarini. A pergunta sobre o elenco, ele começou citando a importância de Gilberto. Mas quando chegou no argentino, mandou recado a quem criticou sua escolha. Na Argentina, Buffarini levou cartão amarelo com cinco minutos de jogo e ficou 69 minutos pendurado até ser expulso. Também não gostou de a defesa ter ficado exposta contra o Linense.

- Considero ele (Gilberto) uma peça importantíssima, faz gols importantes, jogos importantes. Como o Pratto é um jogador excepcional, o Chavez batalha muito. Em uma posição. Como em outras tivemos azar, trouxemos o Edimar, iria jogar na Argentina, mas machucou. E algumas pessoas não entendem por que eu improviso Buffarini na esquerda. Quero que apontem outro jogador. Vou falar pela enésima vez: ele rende mais na direita. Mas na Argentina todo mundo já sabia o que ia acontecer, do cartão. Porque é sempre muito fácil comentar depois que tudo acontece. Ele tem seis cartões, não tinha vermelho. E hoje, mesmo num 4 contra 1, que eu nunca imaginei que veria meu time assim e espero que não veja mais, ele salvou - disparou o treinador, visivilmente insatisfeito.

Ceni também falou sobre a chegada de Marcinho e Morato, meia do São Bernardo e atacante do Ituano, respectivamente. E exaltou o zagueiro Lucão, que fez mais um bom jogo. Confira outros trechos da entrevista do treinador:

Reforços

O Marcinho estamos observando. Não podemos dizer que está fechado, porque não sei. Gosto de jogadores do lado de campo. Como falei que achava que o Rogério não voltaria, e eu tinha razão. Então faz parte do passado. E estamos tentando suprir essa ausência, e tentando observar no mercado jogadores com potencial para serem viáveis. Estamos observando esses dois jogadores. Aí não sei, é com a diretoria. Dou minha opinião, servem. Discuto com os meninos do vídeo, a comissão, e o São Paulo tenta.

Rodízio no elenco

Não vou mais poupar, mas só que às vezes você pode utilizar um atleta 60 minutos, outro 30 minutos de jogo. O caso do Gilberto é clássico. Eu utilizei o Pratto, agora o Gilberto. Demos rodagem. Mas agora não vamos conseguir com 11 jogadores, jogar quatro jogos consecutivos, quarta, domingo, quarta, domingo. Precisamos desses jogadores. Shaylon, por exemplo, jogou um minuto no último jogo. E foi o mais eficiente, porque pegou na bola e deu uma assistência. Gilberto e Pratto são camisas 9 natos, e tenho certeza de que os dois participarão contra o Cruzeiro e os adversários do Paulista.

Está feliz com o time?

Se eu der essa opinião hoje, vou estar feliz. Quarta, não estaria. Mas de uma maneira estou satisfeito com a forma como eles estão se doando. A gente teve 55 treinamentos, é muito pouco. Mas modificamos uma característica de um time do ano para outro, digo que 100%. De um time que jogava fechado, para um time que propõe mais o jogo, joga mais para a frente. E que me deixa feliz. Mas quinta-feira se eu ganho, estou feliz. Se perde, não. Futebol é uma história escrita a cada domingo, e aqui quarta e domingo, desde que começou.

Lucão

O Lucão, quando eu ainda jogava, eu sempre o defendi, porque sei da qualidade dele. Porque no futebol moderno e do modo que meu time joga, é fundamental para o esquema. E precisa ter confiança, ter sequência. Ele não jogava aqui desde setembro de 2015. Porque as pessoas tinham receio, de a torcida pegar no pé dele. E acho que ele mudou o perfil, ele era cabisbaixo, e mudou. A gente vê ele com outro semblante. Falei para ele e falo para qualquer atleta. Conheço atletas de clubes menores, que querem jogar aqui. Não consigo entender o caminho inverso. O torcedor passa acreditar nele, e ele passa a ser importante nesse estilo de jogo, contra os adversários.

Vai mexer no gol ainda?

O Renan jogou muito bem de novo hoje. Assim como o Denis contra o Defensa y Justicia. Não vou falar quem joga. Eles sabem. Os dois tem muito potencial, o Sidão jogando. Eu vejo um menino de muito futuro, que tem potencial para ser goleiro titular do São Paulo. Estamos muito bem servidos de goleiros, cada um trabalhando forte. Assim como não faço os 11, não falo o goleiro que vai jogar.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos