Felipe Melo desfaz polêmicas e avisa: 'Não vou dar tapa em ninguém'

Menos "cachorro louco", mais "responsabilidade". Felipe Melo está mesmo disposto a se afastar das polêmicas às vésperas dos jogos que vão definir o futuro do Palmeiras na fase de grupos da Libertadores e nos mata-matas do Campeonato Paulista. Assim como fez em evento realizado no domingo, ele fez questão de esclarecer a famosa declaração sobre "tapa na cara de uruguaios" em coletiva nesta terça-feira, véspera do jogo contra o Peñarol (URU).

- Jogamos em Tucumán com um a menos, contra o Santos na Vila, Corinthians fora, e não tivemos problema. É uma situação que aconteceu, que eu já me desculpei. Gente, eu não vou dar tapa na cara de uruguaio, nunca dei tapa na cara de ninguém na vida. Não vou dar tapa para ser expulso e prejudicar o Palmeiras. O que eu disse é que tem que chegar duro. Se precisar entrar firme, vamos entrar. Se precisar tomar porrada, vamos tomar. Sempre com muita responsabilidade - disse o camisa 30, ao ser questionado se esperava mais agressividade do adversário por causa de sua declaração em janeiro.

Felipe Melo manteve o controle até com a insistência dos jornalistas no tema. Na segunda vez que foi questionado sobre este mesmo assunto, ele manteve o tom de voz e ainda elogiou o Peñarol.

- Eu acabei de pedir desculpa. Se eu pedi desculpa, automaticamente é porque eu me arrependo. Vocês estão falando de uma coisa que já está encerrada. Ninguém vai dar tapa em ninguém. Vamos jogar com muita responsabilidade. Vamos jogar contra o Peñarol, tradição imensa, e temos que respeitar, mas não podemos dar mole também.

A coletiva do volante também teve vários pedidos de desculpas, uma delas por ter dito, também em sua apresentação, que não precisava da imprensa para nada:

- Eu quero me desculpar com vocês da imprensa por uma coisa muito importante. Me perguntaram se eu preciso da imprensa e prontamente falei que não. Mas é óbvio que eu preciso da imprensa, foi uma resposta não muito inteligente da minha parte. Sobre essas situação de números, sobre o que o outro pensa, eu não estou nem aí. Para vender jornal, para ter clique, é isso aí. Falar que Felipe Melo acertou não sei quantos passes não dá matéria, dá matéria falar que Felipe Melo vai ser expulso, vai dar soco na cara. Estamos em um momento bacana, mas as derrotas vão chegar, porque não somos máquinas. Temos que estar preparados para isso. Estou crescendo muito, o dia a dia está me ensinando, me ajudando a ter domínio próprio - disse.

O jogador aproveitou uma pergunta sobre a boa fase do Palmeiras para esclarecer uma declaração envolvendo o Corinthians. Após a vitória sobre o Jorge Wilstermann, pela Libertadores, ele disse que as equipes menores teriam postura sempre defensiva contra o Verdão e citou o rival.

- A cada jogo que passa os jogadores têm se conhecido melhor. A gente já sabe o movimento que cada um vai fazer, se um sair outro vai cobrir. Por mais que tenham continuado 80% do ano passado, sempre que chega alguém novo existe uma fase de adaptação. Sem a bola, temos de ser time pequeno. Porque foi criada também uma polêmica de que eu falei que o Corinthians era pequeno. Eu não sou maluco de dizer que o Corinthians é pequeno. Falei que quando jogou contra o Palmeiras, sem a bola, jogou como time pequeno, não deixou que o Palmeiras brilhasse. Temos que fazer isso também. Eu sou encarregado de fazer essa bola chegar com perfeição para o Tchê Tchê, para o Guerra, dar uma bola longa para o Borja - falou.

Veja outros trechos da coletiva de Felipe Melo:

JOGO DE QUARTA-FEIRA

Vamos enfrentar um dos times que mais venceram a Libertadores. Pela história do clube, já é de se esperar um jogo muito difícil, com jogadores de seleções, que já passaram pela Europa. No último jogo em casa na Libertadores sofremos até o último minuto. Quem dirá contra um time que tem o peso que tem o Peñarol? Vai ser muito difícil.

JOGOS COM TORCIDA ÚNICA

Eu sou do tempo de Maracanã com geral, o pessoal ia fantasiado, ia jogar contra o Vasco, contra o Botafogo, tinha torcida misturada. Eu gosto de ver o futebol inglês, porque em todos os estádios a arquibancada está sempre cheia. Acho muito legal quando jogam Arsenal e Chelsea, na casa do Chelsea, e quando o Arsenal faz um gol você escuta lá atrás a minoria gritando. É triste olhar e não ver nossa torcida. Futebol é alegria, acaba com a tristeza de muita gente, mexe com a emoção.

A DECLARAÇÃO DE GUERRA

Eu morei muitos anos na Espanha, isso fez com que eu aprendesse um pouco de espanhol. Fracasso não significa tragédia, como aqui no Brasil. Eu concordo com o Guerra, se a gente perder vamos ficar tristes. Fracasso, sim, naquilo que ele quis passar para vocês, mas tragédia, não.

JÁ RECEBEU PROVOCAÇÃO DE JOGADOR NO BRASIL?

Já pediram bastante camisa para mim já. Isso é bacana, eu troco camisa, dou camisa. Se pedir para assinar eu assino e tudo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos