Guerrero parabeniza torcida do Fla por atitude com Cirino: "Incrível"

  • Leo Correa/AP

Vaias e depois muitos aplausos. A torcida do Flamengo foi do ódio ao amor com Marcelo Cirino no duelo contra o Atlético-PR, pela Libertadores. Antes da bola rolar, durante o anúncio da escalação, nos telões do Maracanã, houve vaias para o camisa 29. Quando foi chamado para entrar em campo, o atacante voltou a ser hostilizado por alguns dos presentes. No entanto, quando as placas sinalizaram a entrada do atleta, o jogo 'virou'. Cirino teve o nome gritado nas arquibancadas e foi aplaudido. Satisfeito com a atitude da galera, Guerrero fez elogios ao público. Clique aqui para ver os gols da vitória flamenguista.

"O que a torcida fez com o Cirino me deixa muito feliz. O que eles fizeram foi grandioso, incrível, tenho que parabenizá-los", disse o atacante, que queria abraçar os torcedores na comemoração de seu gol, mas não pôde.

"Eu queria dar um abraço na torcida, mas o Réver falou para não abraçar por causa do cartão amarelo (risos)", contou.

Guerrero explicou sobre a opção por jogar como pivô ou recebendo bolas em velocidade, nas costas dos zagueiros, como no seu gol.

"Para mim, é bom receber a bola no peito, falo para os meus companheiros para ter esse entrosamento. Trauco me conhece bem. Ele enfia bem a bola. Quando tenho de proteger, ser o pivô, eu vou ser, mas também preciso que meus companheiros enfiem a bola. Tenho que mexer um pouco para o zagueiro ficar na dúvida", explicou.

Guerrero ganhou uma disputa com dois zagueiros e também com o goleiro Weverton para fazer o primeiro gol do Flamengo na vitória sobre o Furacão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos