Palmeiras luta e vence, mas Ponte Preta se classifica à final do Paulistão

O Palmeiras foi valente como deveria ter sido em Campinas e venceu a Ponte Preta por 1 a 0, gol de Felipe Melo, mas quem saiu do Allianz Parque comemorando a vaga para a final do Paulistão foi a Macaca. A vitória por 3 a 0 no jogo de ida foi determinante.

Curiosamente, esta foi a primeira derrota da Ponte em cinco jogos na arena palmeirense. Justamente no jogo em que sua torcida saiu mais feliz e gritando "o chiqueirão é nosso". Os palmeirenses obviamente ficaram frustrados, mas aplaudiram o time.

O adversário da Ponte será conhecido neste domingo, quando Corinthians e São Paulo se enfrentam em Itaquera. O Timão venceu o jogo de ida por 2 a 0, no Morumbi.

O Palmeiras jogou o suficiente para cumprir boa parte de sua missão já no primeiro tempo, mas cansou de ficar no quase. Aranha fez duas ótimas defesas em tentativas de Guerra, Borja acertou o travessão, Dudu teve um gol (bem) anulado e Jean reclamou (com razão) de um pênalti em lance com Fernando Bob.

A ideia de Eduardo Baptista era boa. Felipe Melo atuou praticamente como um zagueiro pelo lado esquerdo para cobrir as costas de Egídio, enquanto Mina fez o mesmo pela direita para cobrir Jean, com Edu Dracena centralizado. Tirando esses três, o Verdão era todo ataque. A Macaca se segurava como podia, esfriava o jogo e esporadicamente saía para buscar o gol que selaria de uma vez a classificação. Pottker teve sua chance, mas bateu para fora.

O placar sem gols no intervalo significava um passo gigante da Macaca rumo à final. Somada a isso, a postura da equipe no segundo tempo fez com que os quase 2 mil pontepretanos na arquibancada passassem a ser ouvidos em vários momentos do jogo. Ao contrário do primeiro tempo, o time de Gilson Kleina conseguia trocar passes e rondar a área de Prass, sobretudo com Clayson e Lucca se aproximando de Pottker.

Eduardo Baptista respondeu com Michel Bastos no lugar de Tchê Tchê aos 15 minutos. Aos 25, Willian e Keno substituíram Borja e Egídio. O Palmeiras transformou seu campo de ataque em um amontoado de bons jogadores, mas a organização e a paciência ficavam menores conforme o cronômetro corria.

O gol chorado de Felipe Melo, após Michel Bastos cobrar escanteio e Aranha sair mal, colocou um pouco de tempero no jogo aos 37 minutos da etapa final. Mas serviu mais para coroar a boa atuação do camisa 30 do que para tornar a missão do Palmeiras mais palpável.

O artilheiro Pottker poderia ter colocado a cereja sobre o bolo ao disparar sozinho com a bola em um contra-ataque, mas Fernando Prass evitou o gol que serviria para a Macaca manter o tabu de nunca ter perdido no Allianz Parque.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 1 X 0 PONTE PRETA

Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)

Data-Hora: 22/4/2017 - 19h

Árbitro: Raphael Claus (SP)

Auxiliares: Bruno Salgado Rizo e Luiz Alberto Andrini Nogueira (SP)

Público/renda: 39.086 pagantes / R$ 2.912.614,54

Cartões amarelos: Felipe Melo, Dudu e Guerra (SEP), Marlon e Fernando Bob (PON)

Gol: Felipe Melo, 37'/2ºT (1-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Mina, Edu Dracena e Egidio (Keno, 26'/2ºT); Felipe Melo, Tche Tche (Michel Bastos, 15'/2ºT), Guerra, Dudu e Róger Guedes; Borja (Willian, 25'/2ºT). Técnico: Eduardo Baptista

PONTE PRETA: Aranha; Jeferson (Naldo, 41'/2ºT), Marllon, Yago e Artur; Fernando Bob, Elton e Jadson (Uende, 27'/2ºT); Lucca, Clayson (Lins, 31'/2ºT) e William Pottker. Técnico: Gilson Kleina

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos