Palmeiras leva lição do Paulista para ficar bem perto da vaga no Uruguai

Após um jogo bastante tenso, com direito a expulsão de Dudu nos acréscimos, gol da vitória aos 54 minutos e muita confusão, o Palmeiras prepara-se para um reencontro tão duro quanto com o Peñarol, nesta quarta, em Montevidéu. O resultado ficou engasgado nos uruguaios, e os palmeirenses sabem disso. Por isso, preparam-se para o clima de "guerra" no estádio Campeón del Siglo.

Com a vitória do Tucumán sobre o Jorge Wilstermann na terça, o Verdão continuará na ponta do Grupo 5 independente do resultado desta noite. Mas em contrapartida não conseguirá garantir a classificação às oitavas de final com duas rodadas de antecedência.

Diante da situação mais confortável na chave, a maior lição antes do confronto é justamente a derrota mais doída de 2017: os 3 a 0 para a Ponte Preta, em Campinas, na semifinal do Paulista. Com 35 minutos de jogo, o Verdão já perdia pelo placar que acabou decretando a eliminação do time no Estadual. A estratégia dos uruguaios vai se assemelhar àquela da Macaca no Moisés Lucarelli.

- Nossa ideia é fazer um gol rápido, ganhar confiança e logo criar situações de perigo para deixá-los longe do nosso gol - citou o meio-campista do Peñarol Cristian Rodríguez.

Se na partida de volta a vitória sobre a Ponte por 1 a 0 foi insuficiente para classificar o time à decisão, ao menos a postura no sábado foi motivo de elogios. De acordo com Jean, os atletas sabem que, em um ambiente hostil, ceder à pressão rapidamente como no Paulista será fatal.

- Quando se joga fora, os primeiros minutos são importantíssimos. Temos de passar para toda a equipe. Os 15, 20, 30 primeiros minutos vão ser jogos daquela maneira, ainda mais Libertadores. Teremos adversários que vêm para cima, temos de tomar cuidado para não repetir os mesmos erros - explicou o lateral-direito.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos