Suspensão inspira Rodriguinho a fazer sua 'maior atuação' pelo Timão

- Individualmente foi uma grande noite na minha vida. A gente sempre imagina o melhor, mas nunca imagina tanto, né (risos).

Foi assim que Rodriguinho definiu a atuação de gala na vitória do Corinthians por 3 a 0 sobre a Ponte Preta, pelo jogo de ida das finais do Campeonato Paulista. Autor de dois gols e da assistência para o gol de Jadson, o meio-campista abriu o placar ainda no primeiro tempo, pouco antes de receber o terceiro amarelo que o tirará do duelo de volta, em Itaquera, dia 7 de maio.

Os números de hoje tornam Rodriguinho o jogador que mais participou de gols do Corinthians na temporada: sete gols e quatro assistências, superando Jô com uma assistência a mais que o atacante. Assim, Rodriguinho participou de 11 dos 29 gols do Timão em jogos oficiais nesta temporada.

De acordo com o meia, saber que não poderia estar em campo na decisão diante da torcida foi a motivação para crescer ainda mais na etapa complementar.

- Fiquei muito triste, ainda mais na hora que aconteceu. Eu estava muito concentrado em não levar o cartão. Final de campeonato, com a nossa torcida, queria estar presente. Vou estar, mas não da forma que eu queria. Depois tive que retomar a concentração ali. Aí pensei, se eu não vou jogar lá, tenho que fazer uma coisa diferente aqui - afirmou o meia, que protagonizou boa jogada individual para deixar Jadson na cara do gol, fez mais um para fechar a conta e ajudou a encaminhar o 28º título estadual do Timão.

- Jogar a final em casa seria especial para mim. Lutei para estar no Corinthians, vivendo um momento como esse. Coloquei a cabeça no lugar e, já que não vou jogar a final, quis fazer o máximo no segundo tempo. Foi a maior atuação no Corinthians, até pela final de campeonato. Poder colaborar muito com o título.

Além do meia, o volante Gabriel também recebeu o terceiro amarelo e não jogará em Itaquera - Camacho e Paulo Roberto devem ser os titulares. Apesar de chateado por não jogar a finalíssima, Rodriguinho relembrou o lance e achou que o árbitro Raphael Claus não errou.

- Eu perdi a bola, fui brigar por ela depois. Então tive que rever o lance, acho que ele poderia relevar como relevou em vários outros lances. Falei para ele (Raphael Claus) que a atuação dele foi muito boa, só não precisava me dar o amarelo (risos). Mas ele está de parabéns pela atuação e ele fez o que achou - disse o meia, cuja felicidade pela noite brilhante parece ter superado a tristeza pela ausência na decisão.

- Estou muito feliz, a gente provou, calou a boca de muita gente também. Não ganhamos nada ainda, mas demos um grande passo - completou.

Veja as principais respostas de Rodriguinho após o jogo:

A que se deve a superioridade do Corinthians no Moisés Lucarelli?

A gente entrou muito focado e concentrado no jogo. Estudamos a equipe da Ponte, sabíamos o que devíamos anular e que pontos poderíamos usar. Fábio (Carille) foi muito inteligente, desenhou nossa equipe de forma espetacular, por isso o domínio grande do jogo. Não sofremos sustos e conseguimos criar outras oportunidades.

O elenco tinha instruções para liquidar o jogo em Campinas?

Não tínhamos instrução para matar o jogo aqui. Saímos na frente, o time da Ponte abriu espaços, tivemos outras chances. Sabíamos que, quando as chances aparecessem, tínhamos que matar para levar vantagem para Itaquera. Foi o que aconteceu. A gente se defendeu bem, não sofreu, matamos o jogo aproveitando as chances e levamos boa vantagem.

O placar de hoje garante o título para o Corinthians?

Primeiro temos que respeitar a Ponte, que tem uma grande equipe. Conseguimos anular eles na casa deles, fomos muito bem. Fomos o que a gente vem sendo no campeonato, uma equipe muito sólida, que consegue matar o jogo. Não ganhamos nada ainda. Temos um outro jogo diante da nossa torcida. Isso é muito importante. Mas sabendo que temos uma grande vantagem, lógico, mas sem perder a concentração.

Sobre o passe de Jô no primeiro gol e a importância de abrir logo o placar

Jô é um jogador excepcional, jogou Copa do Mundo, tem currículo invejável, jogador de muita qualidade. Quando não tivemos centroavante, sofremos. E ele está fazendo esse papel importante, com os mais jovens, passando sua experiência. Ele é muito importante, hoje conseguiu me achar ali com muita inteligência. Consegui passar. Se a gente fizesse um gol, facilitaria nosso trabalho porque a Ponte é muito rápida. Poderíamos diminuir os espaços deles. Sair na frente seria muito importante.

Ronaldo Fenômeno foi ao vestiário falar com os atletas antes do início do jogo. Que importância isso teve? Dá para comparar Rodriguinho com Ronaldo?

Se comparar com Ronaldo Fenômeno não tem jeito. Foi muito legal a presença dele aqui. Não só para a torcida, os brasileiros, para nós jogadores. Só a presença dele ali, motiva de uma forma muito legal. Chegou um pouquinho atrasado, dava para chegar um pouquinho antes e ficar com a gente. Se estivesse aqui iria pagar uma caixinha, né? (risos). Mas foi muito importante, motivacional.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos