Presidente do Verdão terá reunião na Conmebol sobre a briga no Uruguai

Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras, terá uma reunião na manhã desta terça-feira com o presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez. O clube quer tratar da confusão ocorrida em Montevidéu (URU), após a vitória sobre o Peñarol, na última quarta.

A intenção do encontro é expor a visão do Palmeiras sobre o que aconteceu no estádio Campeón del Siglo, além de mostrar a preocupação com a gravidade do caso. André Sica, advogado que trabalha para o clube, acompanhará Maurício Galiotte - os dois viajam nesta noite.

Na semana passada, membros do departamento jurídico já foram à sede da Conmebol para entregar a defesa do Palmeiras. Depois do triunfo por 3 a 2, houve uma batalha entre jogadores no campo do Peñarol, em que Willian e Fernando Prass acabaram agredidos; Felipe Melo acertou um soco no camisa 10 adversário, Mier, quando estava sendo encurralado, após tentar evitar o confronto percorrendo quase todo o campo. Torcedores das duas equipes também se confrontaram nas arquibancadas.

Desde o pós-jogo, o Palmeiras trabalha para evitar sanções pesadas, inclusive entrando em contato com a Federação Paulista e a CBF. O clube critica bastante a segurança no estádio do Peñarol - além de considerar que o ataque foi premeditado, os brasileiros dizem que se não fossem pelos 14 seguranças que viajaram com a delegação, uma tragédia poderia ter ocorrido.

Felipe Melo, Nántez, Mier e Lucas Hernández, os últimos três jogadores do Peñarol, receberam três jogos de pena preventiva. Os uruguaios dizem que foi o meio-campista do Verdão quem iniciou a briga - o árbitro Enrique Cáceres colocou na súmula que que o gesto de Felipe de levar os braços ao céu gerou a reação coletiva dos adversários.

Sábado, o Palmeiras divulgou vídeo mostrando que Felipe Melo não quis provocar, compilando imagens de jogos desta temporada. Nelas, mostrou que o jogador também levantou os braços ao céu para agradecer após o fim ou em gols do Verdão.

O camisa 30 já está suspenso do jogo desta quarta-feira, contra o Jorge Wilstermann (BOL), na Bolívia. Ainda não há data para o julgamento no Tribunal Disciplinar, mas a principal meta do Palmeiras é evitar que o jogador leve um gancho maior do que estes três jogos. Caso fique nisso, Felipe perderia o fim da fase de grupos e a partida de ida das oitavas de final.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos