Único a vencer o Timão na Arena em 2017, Toninho Cecílio fala da façanha

Praticamente imbatível em casa, o Corinthians pode até perder por dois gols de diferença que chegará ao título Paulista diante da Ponte Preta. Em 11 jogos realizados em Itaquera na temporada, o clube alcançou seis vitórias e só foi derrotado uma única vez durante os 90 minutos, para o Santo André, por 2 a 0, durante a fase de classificação da competição.

Toninho Cecílio, treinador da equipe do ABC na ocasião, tem boas recordações sobre aquele 11 de fevereiro, um sábado à noite. Estudioso, o comandante conta que tentou anular as principais peças de criação da equipe corintiana e fazer com que o estádio não se tornasse um caldeirão diante de um eventual tento corintiano.

- Se existe alguma possibilidade de vencer o Corinthians no seu estádio, ela passa pelo estudo minucioso do adversário e um plano de jogo seguido à risca. Naquela oportunidade, procuramos ter equilibrio, fechar as laterais, principalmente o Fágner, e jogar muito por dentro com a posse de bola, pois o 4-1-4-1 protege bastante os lados do campo, mas oferece espaço pelo meio. Foi assim que chegamos aos gols - contou.

Campeão Paulista como gerente executivo do Palmeiras em 2008, e da Série A2 com o próprio Santo André no ano passado, Toninho Cecílio deixa claro que a Ponte Preta possui condições de reverter a situação mas prevê muita dificuldade.

- O Fabio Carille conseguiu dar um padrão de jogo muito claro ao time, e a chegada do Jadson ofereceu um poder de decisão mais presente. Com ele na equipe o próprio Rodriguinho passou a render muito mais, pois teve um companheiro para dividir a Responsabilidade na criação. Hoje teríamos mais dificuldade. Por outro lado, a equipe da Ponte Preta consolidou uma maneira de jogar, fazendo prevalecer a organização e a saída em velocidade Desta vez, terá que propor o jogo intensamente. Vai ser interessante e precisar fazer um jogo com erro zero - explicou.

Toninho deixou o comando técnico do Santo André no final do mês de fevereiro e aguarda propostas para voltar ao mercado, após o final dos Estaduais.

- Eu estava completamente dentro da meta traçada pelo clube e fui demitido após um jogo ruim. Tínhamos subido o time e sequer pisado em zona de rebaixamento na A-1. Foi uma ingratidão enorme. Mas tenho que seguir a carreira - finalizou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos