Para decisão contra o Avaí, Mancini improvisa Nathan no lugar de Girotto

Finalmente a Chapecoense voltou a treinar no CT da Água Amarela e o foco da atividade é a final do Campeonato Catarinense, onde o Índio Condá enfrenta o Avaí. Com o desfalque do volante Andrei Girotto, expulso no jogo de ida da decisão, o técnico Vagner Mancini vai improvisar o zagueiro Nathan na vaga.

- O João Pedro nunca foi o primeiro homem, assim como o Moisés (Ribeiro) e o Luiz Antonio não são. A opção de usar o Nathan é não só por ter um homem técnico, que sabe fazer uma boa marcação, bom no jogo aéreo, mas também fazer que o João Pedro possa jogar na sua real posição. Eventualmente vamos utilizá-lo no meio também - explicou o técnico do Verdão.

Sendo assim, a Chapecoense entra em campo contra o Avaí com um time formado por Artur Moraes; João Pedro, Luiz Otávio, Grolli e Reinaldo; Nathan, Moisés Ribeiro e Luiz Antonio; Rossi, Arthur e Wellington Paulista.

Com três volantes no esquema, Mancini afirmou que a tática não se trata de preocupação com o Avaí, que vai subir para o gramado da Arena Condá tentando reverter o resultado negativo da primeira partida, e que o foco é manter o estilo de jogo da sua equipe.

- Sinceramente, não (é precaução). Estou tentando fazer com que o homem que entre nessa posição seja o mais próximo do que o Girotto é. Não quero jogar pelo resultado, ou pelo regulamento do campeonato. A recomendação, é que o Nathan jogue, assim como fez no Mineirão, no início do jogo ainda um pouco preso, depois se soltou, até porque é um atleta técnico, que tem um bom passe e pode fazer que a equipe da Chapecoense saia de trás em velocidade com passes rápidos. Mas o mais importante é não perder a característica forte da Chapecoense que é colocar a bola no chão e tentar chegar rapidamente ao gol adversário.

Apesar da vantagem conquistada após vencer o Avaí por 1 a 0 na partida de ida, o técnico pediu aos atletas para que não joguem pensando no benefício e foquem em mais uma vitória.

- No primeiro jogo a gente saiu vencedor mas não nos dá o direito de comemorar nada até porque todos nós estamos falando de futebol e todos nós já vivenciamos muita coisa então a gente tem que acima de tudo respeitar não só o Avaí mas o futebol de uma maneira geral é um esporte que sempre apresenta surpresas e nós temos que estar atentos a tudo isso, quero meu time bem concentrado e focado - concluiu o técnico.

Se a Chapecoense passar o Avaí novamente, vai erguer uma taça de campeão pela primeira vez desde o acidente aéreo. As equipes se enfrentam na Arena Condá, neste domingo, às 16h.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos