Kleina aponta mudanças na Ponte para decisão: "Retomar a identidade"

  • Zanone Fraissat/FOLHAPRESS

A realidade é muito dura para a Ponte Preta, neste domingo, às 16h, na Arena Corinthians, na segunda partida da final do Paulistão contra o Timão. O placar de 3 a 0 que o adversário construiu em Campinas foi uma ducha de água fria para as pretensões do clube, que briga pelo seu primeiro título de expressão.

A missão do técnico Gilson Kleina não será fácil, mas dentro dessa dificuldade, o importante será retomar aquilo que levou seu time a poder disputar essa decisão derrubando rivais fortíssimos, como Santos, nas quartas de final, e Palmeiras, na semifinal. A receita, neste caso, é simples, de acordo com o comandante.

"É ter equilíbrio. Não tem muito o que mudar. Precisamos nos posicionar de outra forma. No primeiro jogo, o adversário teve muito campo para jogar, pensou muito com a bola no pé. Não adianta descaracterizar muito. É preciso retomar nossa identidade, nossa postura", afirmou em coletiva nesse sábado.

Pelos treinamentos comandados por Kleina durante a semana, a Ponte deverá ter novidades em termos de esquema tático. O treinador testou uma formação com três zagueiros, quatro homens no meio-campo, inclusive os laterais, e os três atacantes no setor ofensivo.

Embora despiste sobre a utilização do novo sistema já contra o Corinthians, por achar que a formação ainda precise de mais tempo de aperfeiçoamento, o técnico da equipe campineira pensa em buscar alternativas para a Copa Sul-Americana, na partida de terça-feira, contra o Gimnasia y Esgrima, na Argentina, pela volta da primeira fase (empate por 0 a 0 na ida, no Moisés Lucarelli).

"Fizemos esse tipo de teste. Mas vou te falar que seria prematuro para domingo, mas estamos trabalhando também visando a sequência. Temos a Sul-Americana, logo depois o Brasileirão. Quando você usa três zagueiros, o time fica mais consistente na marcação, também na bola aérea, e libera os laterais, que aqui apoiam bastante. É sempre importante manter uma estrutura, mas ter uma alternativa também é importante", explicou.

Entre esses três zagueiros que podem entrar em campo como titulares neste domingo, a formação não deverá contar com Yago, que deixou o campo na primeira partida da decisão com dores no joelho e apesar de ter feito trabalho tático com os companheiros, teve sua participação praticamente descartada por Gilson Kleina que, mesmo assim, preferiu deixar um pouco de mistério no ar.

"O Yago ainda está com fortes dores e não reuniu as condições que a gente esperava. Está praticamente fora. Temos a volta do Marllon, mas é uma situação que vamos guardar até o jogo, para trabalhar e pegar mais informações. Uma hora antes do jogo vocês vão ficar sabendo", finalizou.

Como disse Kleina, a Ponte conta com o retorno do zagueiro Marllon, que estava suspenso pelo terceiro amarelo e estará entre os titulares. Outra novidade pode ser a entrada de Artur, atuando pelo corredor esquerdo, com Reynaldo recuado para a zaga. No lugar de Yago, a opção deve ser por Kadu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos