Carille "adia" a folga do Corinthians e cita dois receios para resto do ano

  • Marcello Zambrana/AGIF

Depois de apenas quatro meses de trabalho pelo Corinthians, Fábio Carille foi campeão e eleito pela Federação Paulista de Futebol como o melhor técnico do Paulistão em 2017. Apesar da conquista ter sido muito comemorada o tempo de festa foi curto: o elenco já treina nesta segunda e terça-feira e já entra em campo nesta quarta, pela volta da primeira fase da Copa Sul-americana, contra a Universidad de Chile. O calendário apertado foi motivo de críticas do comandante alvinegro, especialmente pelo pouco tempo de descanso entre a final do Estadual e o próximo desafio do torneio continental.

"Acho que as federações tinham que entrar em consenso. A Ponte Preta jogou domingo e já vai jogar terça-feira, é muito complicado, não entendemos porque é assim sendo que semana que vem não tem jogo para nenhum dos dois. Bom, enfim. É isso. O grupo entendeu", disse o treinador, que "adiou" a folga do elenco em uma semana: a equipe volta do Chile, joga pelo Brasileirão no sábado e depois terá o domingo e a segunda-feira como folga.

Em meio à maratona de jogos decisivos em duas competições e a premiação, que segundo o técnico faz com que "a ficha não caia", Fábio Carille tem duas preocupações no comando do Timão: o relaxamento, que pode complicar a sequência da equipe na Copa Sul-americana e uma eventual perda de jogadores campeões estaduais. Antes de receber o prêmio da FPF, o comandante alvinegro explicou os dois temas.

"A gente sabe que as equipes da Europa estão com dificuldades de encontrar laterais-direitos, e hoje ele está na Seleção, então é um temor perder o Fagner. Temos também o Arana, com 20 anos, Maycon com 20 anos. Meu maior reforço será manter os jogadores. Somos bastante cientes da situação do clube, mas o torcedor não precisa ficar preocupado, não, que vamos fazer um grande campeonato. Todo técnico quer reforçar seu elenco, mas sei as condições do Corinthians. Se não chegar ninguém, já temos um grupo bom", avisou o treinador, preocupado em "comprometer" os outros torneios após o título do Paulistão.

"Depois dos 3 a 0 no Paulista não cobrei nada taticamente e taticamente e sim foi motivar. Sabemos do relaxamento natural, então a semana inteira trouxemos frases, conversas para entrarmos bem ligados. Agora é um jogo difícil, em que no primeiro tempo tivemos muita dificuldade contra uma equipe junta há três anos, que terá mais de 40 mil no estádio. Mas estamos maduros para superar tudo isso", disse.

O Corinthians viaja para Santiago na manhã desta terça-feira e enfrenta La U na quarta, às 21h45. O jogo de ida foi vencido pelo clube por 2 a 0 em São Paulo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos