Cuca vê Palmeiras 'autopressionado' e não promete título em seu retorno

O que o torcedor do Palmeiras mais quer é que o futuro repita o passado e que Cuca conquiste novas taças, mas o técnico retornou com um modus operandi diferente. Desta vez, nada de prometer títulos, como ele fez antes do Brasileirão do ano passado para elevar a auto-estima do elenco.

- Acho que o momento do Palmeiras agora é inverso. Não tenho que vir aqui e dizer que vai ser campeão disso ou daquilo. Acho que o Palmeiras se auto-pressionou por conta disso, de "ah, o Palmeiras vai ganhar tudo". Até internamente isso aconteceu. E foi prejudicial até para o Eduardo (Baptista), porque a primeira coisa que ele não ganhou já gerou uma cobrança enorme, e ele vinha fazendo um grande trabalho em termos percentuais. O futebol não é assim, você não vai ganhar todos os títulos porque investiu mais que o outro. Eu acho que essa pressão o Palmeiras não precisa puxar para si. Tem a necessidade de buscar os títulos, mas não uma obrigação - disse o técnico.

Assim como no ano passado, Cuca recebeu uma camisa 8 (já da coleção nova) ao ser apresentado, para lembrar do número que usava nos tempos de jogador - passou pelo clube em 1992. O presidente Maurício Galiotte, o diretor de futebol Alexandre Mattos e os donos da Crefisa, Leila Pereira e José Roberto Lamacchia, estiveram na sala de imprensa da Academia de Futebol, que recebeu um número sem igual de jornalistas nesta terça-feira. Todos queriam saber porque ele decidiu voltar ao clube depois de cinco meses parado.

- Obrigado ao presidente, ao Zé Roberto, à Leila e ao Alexandre pela confiança. Avisei no começo de dezembro que não iria ficar por motivos pessoais, pretendia dar uma atenção maior à família e dei. Não determinei quanto tempo ficaria parado, em teoria seriam cinco, seis meses, como foram. Na sexta, recebi uma ligação do Alexandre, ele me disse que se eu não viesse com certeza viria outro. Eu estava até em negociação com o mercado asiático. Se eu não viesse, com certeza iria para lá, porque já estava me sentindo em condição de trabalhar, ainda que não tivesse feito o que queria, que era observar treinamentos no mercado Europeu. Mas já tinha feito o que queria em relação à família - explicou Cuca.

- Eu estava com alguma dúvida de voltar ao Palmeiras porque é muito precoce, muito em cima. Eu tinha uma condição de sair (do país) também. Um dos motivos que me fizeram vir foi o conhecimento de casa que eu tenho. Tenho uma responsabilidade muito maior que no ano passado, mas um conhecimento de casa bom, o que abrevia um bom tempo de trabalho. Todos sabem o carinho que tenho pelo clube - acrescentou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos