Xandão fala de negociação e exalta o Vasco: "É um gigante"

  • Divulgação

Um dos alvos do Vasco para reforçar a sua zaga é Xandão, que está sem clube desde que rescindiu com o Anzhi, da Rússia, em março deste ano. Em entrevista ao LANCE!, o zagueiro conta que até o momento houve apenas um primeiro contato do Cruz-Maltino com seus empresários e não há nada definido. O defensor de 29 anos se diz feliz com o interesse e vê com bons olhos um retorno ao futebol brasileiro após cinco anos atuando na Europa.

"Não (foi apresentado nenhum projeto ainda), apenas um primeiro contato com os meus representantes. Fico muito feliz e orgulhoso em ver meu nome vinculado a grandes clubes do futebol brasileiro, como o Vasco, mas ainda não tem nada definido. Meus representantes, Renato Figueiredo e Marcio Rivellino, estão cuidado das negociações e estou tranquilo. Joguei cinco temporadas na Europa e seria ótimo retornar ao Brasil para disputar a Série A", revelou o defensor.

Do atual elenco vascaíno, Xandão conhece Luis Fabiano, que foi seu companheiro em 2011, no São Paulo. Ele disse que não conversou com o atacante a respeito do clube, mas se as negociações evoluírem, vai procurar o Fabuloso.

"Do Vasco eu conheço o Luis Fabiano. Tive a honra de jogar com ele no São Paulo, em 2011, mas ainda não falei nada com ele, até porque não tem nada oficial, apenas um contato. Se as conversas evoluírem, entrarei em contato com o Luis porque é uma pessoa que eu tenho muito respeito e tenho certeza de que irá me ajudar se eu precisar".

Apesar de não ter conversado com ninguém do Cruz-Maltino, o zagueiro conhece bem a história do clube. Tanto que fez elogios e revelou que o Vasco tem a sua admiração.

"O Vasco é gigante. Um dos maiores clubes do Brasil, com uma história brilhante e possui uma torcida fanática. É um clube que eu admiro", disse

O primeiro contato do Cruz-Maltino com os representantes de Xandão foi de Anderson Barros, gerente de futebol do clube. Uma nova rodada de negociações está para acontecer nos próximos dias. O fato de o jogador estar livre no mercado é um facilitador. O zagueiro teve boa passagem no Brasil pelo São Paulo, entre 2010 e 2012. Logo depois, ele foi para a Europa, onde defendeu o Sporting (POR), Kuban e Anzhi, da Rússia.

Força no jogo aéreo e evolução tática

Xandão contou um pouco das suas principais características. Um dos pontos fortes do zagueiro também é do Vasco: o jogo aéreo. O defensor diz ainda que é rápido, bom na antecipação e procura sair jogando.

"É complicado falar das próprias características. Tenho um jogo aéreo forte e, apesar da altura, sou um defensor veloz e com uma boa antecipação. Também uso da força física para ganhar vantagem e tento sair jogando com qualidade", comentou o zagueiro, destacando que evoluiu em sua passagem no futebol europeu.

"Foram cinco anos na Europa. O primeiro foi em Portugal e os outros quatro na Rússia. Evoluí muita na parte tática e física, principalmente na primeira temporada, em Portugal. Naquele período amadureci bastante dentro de campo. Hoje, após cinco anos fora do Brasil, acredito que tenho uma boa experiência para poder atuar na Série A", completou.

Confira um bate-bola com Xandão:

Você rescindiu com o Anzhi. O que aconteceu para isso?

Rescindi há dois meses por causa de uma mudança radical que houve no clube. O antigo dono, aquele mesmo que contratou o Roberto Carlos e o Eto'o no passado, acabou vendendo o clube para um novo investidor e isso pegou todos os estrangeiros de surpresa. Eu estava de férias e quando retornei fui comunicado que os planos haviam mudado e que não contavam mais com os estrangeiros. Como a maioria dos estrangeiros tinha contrato curto, que acabava no meio deste ano ou em 2018, eles resolveram aceitar o acordo e saíram. O Anzhi propôs pagar apenas os salários atrasados, o que era totalmente inaceitável, até porque eu tinha acabado de chegar e tinha mais dois anos e meio de contrato. Resolvi continuar no clube e cumprir o contrato, mas eles começaram a descumprir uma série de obrigações e me pressionaram de várias maneiras, além de não arcar com os compromissos contratuais. Por uma série de razões, meu advogado notificou o Anzhi sobre as pendências várias vezes, mas o clube ignorou todos os pedidos e notificações. Por causa disso, não tivemos outra opção e rescindimos o contrato por justa causa. Agora o caso está na FIFA e estou livre para atuar por qualquer equipe.

Acha que vai ter alguma dificuldade para se readaptar ao futebol brasileiro?

Eu não posso garantir nada. Quando saí do Brasil, pensei que teria muita dificuldade em Portugal, mas aconteceu o contrário. Nos primeiros seis meses já consegui conquistar a posição de titular no Sporting, que é um clube grande, e obtive destaque, tanto é que até hoje as pessoas me tratam com muito carinho por lá. Caso eu volte a atuar no Brasil, acho que sentirei um pouco a diferença nas primeiras semanas, mas não será problema. Com muito trabalho e dedicação conseguirei me adaptar o mais rápido possível.

Caso você acerte com o Vasco, o que a torcida pode esperar de você?

Eu não quero falar para a torcida do Vasco, até porque não há nada oficial, mas posso garantir muito comprometimento, profissionalismo e engajamento com os projetos e ambições do clube onde eu atuar.

 

 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos