Desatenção e cansaço: corintianos tentam explicar tropeço em Itaquera

Ser campeão paulista e avançar na Copa Sul-Americana deixaram o Corinthians empolgado para a sequência da temporada. A maratona bem sucedida de decisões, no entanto, também trouxe problemas para o Timão. Nos dois últimos jogos, por exemplo, Léo Príncipe e Pablo sofreram com problemas musculares. E, neste sábado, o cansaço foi apontado pelos alvinegros como preponderante para o empate em 1 a 1 com a Chapecoense.

- Posso falar por mim que pesou um pouco, mas isso não é desculpa, a gente tem que estar bem, tentamos recuperar o máximo possível, mas a maratona é forte assim mesmo. Tanto é que a agora a gente vai ter um tempo pra descansar e reorganizar - lamentou o meia Rodriguinho, que deu assistência para Jô no duelo.

Além do desgaste físico, problemas clínicos como resfriados e febre acometeram o elenco. O técnico Fábio Carille, inclusive, disse que alguns atletas precisaram até ir a hospitais. O goleiro Cássio lamentou o ocorrido, mas não deixou de citar a desatenção da equipe para ceder o empate à Chape na estreia do time no Campeonato Brasileiro.

- Temos sempre que buscar três pontos em casa no brasileiro, a gente não conseguiu. Em uma desatenção a gente acabou tomando o gol. Não é desculpa, mas a gente está meio debilitado, um monte de jogador com gripe, tomando injeção. A pegada é forte nos jogos. Claro que não é desculpa, mas no final ali bateu um pouco do cansaço e agente não conseguiu manter o ritmo - disse.

A comissão técnica do Corinthians deu folga dupla para o grupo, que descansará domingo e segunda-feira, voltando aos trabalhos no CT Joaquim Grava somente na próxima terça.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos