Em cerca de um mês, Corinthians responde cinco processos por calote

Em cerca de um mês, o Corinthians foi processado cinco vezes por conta da falta de pagamento de compromissos assumidos ao longo dos últimos meses. Quatro destas ações envolvem jogadores (Petros, Vilson, Marlone e Kazim) e a mais recente foi protocolada nesta terça-feira, na 29ª Vara Cível, pela "Ferronor Comércio de Ferro e Aço Ltda". O Timão não pagou por materiais de construção utilizados em obras de sua sede social e deve, de acordo com a ação, que é pública no site da Justiça do Estado de São Paulo, R$ 17.847,78.

O Corinthians foi processado pelo SEV Hortolândia, clube mantido por empresários, duas vezes: em R$ 1,2 milhão pela transferência de Petros, em 2015, e R$ 320 mil pela compra do zagueiro Vilson. Além disso, o Coritiba pede R$ 900 mil por parcelas não pagas do atacante Kazim e a Penapolense cobra R$ 1,7 milhão pelo calote na compra do meia Marlone, hoje emprestado ao Atlético-MG. Na soma, pouco mais de R$ 4 milhões.

O Corinthians teve prazo de três dias para efetuar o pagamento das dívidas e evitar a sequência dos processos, que podem render penhora de bens, mas não foi nem sequer intimado em algumas ações. O departamento jurídico do clube agora tem 15 dias para apresentar sua defesa em cada caso.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos