Felipe vive glória na Europa e sonho de Copa, mas ainda auxilia Corinthians

  • Angelo Carconi/ANSA via AP

Felipe nem esconde a paixão. Mesmo vendido há um ano ao Porto (POR), o jogador continua acompanhando os jogos do Corinthians e exibindo a felicidade pelas vitórias em suas redes sociais. Pelo Timão, foram 115 jogos, oito gols marcados, dois títulos e quatro anos em que passou de desconhecido a um dos melhores zagueiros do futebol brasileiro. Mas quem pensa que a "ajuda" do jogador de 28 anos parou por aí está enganado. Como revela nesta entrevista ao LANCE!, Felipe ainda tem uma participação - mesmo que discreta - na sequência do trabalho, hoje dirigido pelo técnico Fábio Carille.

Antes auxiliar e comandante dos trabalhos específicos para defensores nos tempos de Tite, Carille agora é técnico do clube, e ainda conversa frequentemente com o jogador do Porto. Um dos assuntos das conversas da dupla é sobre o futebol europeu e até mesmo trabalhos defensivos realizados pelo técnico Nuno Espírito Santo que transformaram os Dragões na melhor defesa do continente na atualidade - contando jogos da Liga dos Campeões da Europa, inclusive.

"Converso bastante com o Carille. É uma pessoa que sempre me apoiou e me ajudou a corrigir muita coisa. Devo muito a ele. Ultimamente sempre falamos que a nossa linha defensiva funciona muito bem, que mantém um padrão correto. Ele me diz que tem acompanhado e admira o nosso sistema", diz Felipe.

Enquanto o Corinthians ainda comemora o título paulista em que ostentou a marca de melhor defesa e se ajustou com a dupla formada por Balbuena e Pablo, Felipe vive grande fase no futebol europeu. Ele é titular do Porto logo em sua primeira temporada, participou de 93% dos jogos da temporada em quatro competições diferentes e tem sido observado pelo Real Madrid (ESP). Em alta aos 28 anos, ele obviamente pensa em seleção brasileira.

A próxima convocação será nesta sexta-feira, para os amistosos contra Austrália e Argentina que serão disputados nos dias 9 e 13 de junho, na Oceania. Felipe sonha em ser lembrado por Tite, técnico de seu título brasileiro em 2015. A um ano da Copa do Mundo, o chamado pode fazer o sonho reviver.

"Meu primeiro objetivo era chegar à Europa e esse já alcancei. O próximo é chegar à Seleção e fazer uma história bonita. Estou trabalhando forte para isso, estou aproveitando minha experiência na Europa, tem sido muito bom. Tenho que trabalhar forte no Porto para tudo dar certo. O futuro a Deus pertence. Só tenho que trabalhar, trabalhar e trabalhar para poder realizar esse sonho", disse.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos