Assessor de Temer e ex-governadores são presos acusados de superfaturar obras do Mané Garrincha

A Polícia Federal prendeu nesta manhã, em Brasília, ex-governadores do Distrito Federal suspeitos de superfaturar as obras do Estádio Mané Garrincha, inaugurado para a Copa de 2014. José Roberto Arruda, Agnelo Queiroz e o ex-vice governador Tadeu Filippelli, que também é assessor do presidente Michel Temer, foram presos durante a operação "Panatenaico".

A operação se deu a partir da delação premiada da empresa Andrade Gutierrez sobre irregularidades na construção do estádio de Brasília. De acordo com as investigações, os valores superfaturados chegam a casa dos R$ 900 milhões.

Inicialmente, a expectativa era de que a reforma da arena do Distrito Federal custasse cerca de R$ 600 milhões. Porém, os valores finais da construção do estádio chegaram a quase três vezes do que estava previsto e ele se tornou o mais caro da Copa, ultrapassando a casa dos R$ 1,575 bilhão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos