Supremo Tribunal espanhol confirma sentença de Messi por fraude fiscal

Condenado em julho de 2016 por fraude fiscal, o argentino Lionel Messi teve sua sentença confirmada nesta quarta-feira. O Supremo Tribunal da Espanha sentenciou o jogador do Barcelona a 21 meses de prisão, além de uma multa no valor de 2,093 euros, cerca de R$ 7,6 milhões.

Além de Messi, o pai do jogador também foi condenado pela justiça espanhola. Jorge Horacio Messi, que também atua como empresário do atleta, teve sua sentença reduzida de 21 para 15 meses de prisão por colaborar com a investigação e devolver parte do dinheiro sonegado à Fazenda.

A Audiência de Barcelona condenou o craque e seu pai por fraude fiscal no ano passado, alegando que o jogador deixou de declarar à Fazenda a receita sobre os seus direitos de imagem. Segundo o órgão, o valor desviado a paraísos fiscais seria de 4,1 milhões de euros, R$ 15 milhões. A rádio espanhola Onda Cero afirma que a sentença dos dois é definitiva e não cabe recurso por parte de Lionel e Jorge Messi.

Apesar da condenação, uma brecha na lei espanhola permite que o jogador e seu pai cumpram a sentença em liberdade: ao receber uma punição menor que 24 meses, o réu pode responder em liberdade caso não tenha antecedentes criminais ou esteja envolvido em outros delitos.

- Eu me dedicava a jogar futebol. Confiava em meu pai e nos advogados que tínhamos decidido que acertariam as coisas. Em nenhum momento me passou pela cabeça que iam ma enganar - alegou o atacante argentino em sua defesa.

Segundo informações do jornal El Mundo, Messi foi condenado a sete meses de prisão e multa de 532,3 mil euros por fraude em 2007; mais sete meses de prisão e multa de 792,3 mil euros por fraude em 2008; e por fim, mais sete meses de prisão e multa de ? 768,3 mil euros por fraude no imposto de renda no ano de 2009.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos