Anderson Barros diz que Rodrigo foi desrespeitoso e garante Nenê

O Vasco seguiu na manhã desta quinta-feira, em São Januário, a preparação para o clássico com o Fluminense, sábado, também no estádio, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Mas o assunto na entrevista coletiva após a atividade não teve ligação com a partida. Anderson Barros, gerente de futebol do clube, foi quem atendeu a imprensa depois das declarações dadas por Rodrigo à TV Globo na última quarta-feira. O dirigente cruz-maltino disse que o zagueiro, hoje na Ponte Preta, foi desrespeitoso e garantiu a permanência de Nenê no Vasco, ao contrário do afirmado por Rodrigo.

- Rodrigo encerrou um ciclo, na nossa opinião. Comunicamos respeitosamente. Respeitamos a parte contratual. Achei as palavras desrespeitosas e deselegantes. Não tinha o direito. Muitas coisas colocadas não são verdadeiras. O Vasco está acima de tudo. Eu não me importo com as declarações, apenas com o que estamos fazendo, com o que achamos que é o melhor para o clube. O Vasco tem uma estrutura definida, com presidente, vice-presidente e um gerente de futebol. Todas as decisões são encaminhadas com essa hierarquia. Isso é muito claro. No caso deste atleta, o clube tomou a decisão que tinha que ser tomada. Tínhamos motivos e razões - afirmou Anderson Barros antes de completar sobre Nenê:

- O Nenê é ídolo, respeitado. Qualquer coisa sobre ele nunca vai partir do Vasco. Ele continua trabalhando no Vasco. Está no banco por uma decisão técnica, do treinador. Decisão que cabe a qualquer treinador. O Nenê chama atenção. Tem relevância técnica, profissional. Ele não chama atenção só do São Paulo, mas de outros clubes. O Vasco conta com ele. Qualquer coisa contrária seria uma decisão que partir dele.

Vale lembrar que Rodrigo, durante a entrevista para a rede de televisão, afirmou que Nenê teria o mesmo futuro do que ele no Vasco. O zagueiro saiu chateado com a situação em São Januário e ainda falou de uma conversa que teve com o meia antes de se desligar do Cruz-Maltino há cerca de duas semanas. Ainda relacionou ao fato de Nenê, no último jogo do Vasco, disputado contra o Bahia no domingo passado, ter ficado no banco de reservas pela primeira vez por opção técnica desde que chegou ao clube em 2015:

- Não tenho dúvidas que encaminha para acontecer o que aconteceu comigo, com o Nenê. Isso até antes... Quando muda um pouco o ambiente, quando as pessoas mudam um pouco com você, você sabe que está acontecendo alguma coisa diferente. E antes da minha saída, eu tinha conversado com o Nenê: "Nenê, vai acontecer alguma coisa comigo ou com você, meu amigo", e aconteceu comigo primeiro. Agora está acontecendo com o Nenê. Eu não estou surpreso. Ele (Milton Mendes) está começando a tirar ele um pouco, ainda mais uma figura importante. É aquele negócio, né? Ninguém olha mais o que nós passamos, simplesmente chega uma pessoa e quer mudar.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos