Capitão, Henrique rechaça rótulo de único líder e crê em ascensão do time

Capitão do Cruzeiro mesmo após o retorno de Fábio ao time titular, Henrique prefere rejeitar o rótulo de 'referência' e 'líder' doe elenco celeste. De acordo com o camisa 8, é como se a faixa que ele carrega no braço fosse dividida com os companheiros.

- No futebol, mesmo não estando com a faixa, também somos uma referência para os atletas que chegam, para as pessoas. A gente tem também o papel dentro do clube. Isso é indiferente. Quem quer que esteja com a faixa, todos têm seu papel importante. Cada um com sua característica. Um fala mais, o outro é mais observador - comentou Henrique.

- Então, cada um vai se completando dentro disso. Cada um, da sua maneira, tem isso dentro de si próprio e desenvolve da melhor forma. É importante para o grupo, é importante para o Cruzeiro. Porque temos vários jogadores ali. Trato como natural (a faixa de capitão), normal, porque eu já vinha fazendo isso o tempo em que estou aqui - completou o volante cruzeirense.

O Cruzeirense também comentou sobre a busca interna por evolução e equilíbrio nos jogos. Diante do São Paulo, por exemplo, a Raposa venceu e convenceu por 1 a 0, no Mineirão, mas contra o Sport, no último domingo, pela segunda rodada, os mineiros oscilaram entre bons e maus momentos. Aos seus olhos, há adversários que dificultam a vida do Cruzeiro.

- Entramos nas partidas querendo ter esse equilíbrio, mas temos adversários que dificultam o nosso trabalho. Temos que saber avaliar o momento para ter esse equilíbrio. Saber atacar, saber rodar a bola. (...) Trabalhamos em cima disso pelo equilíbrio e a melhor forma de jogar e seguimos confiantes para a sequência - comentou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos