Jornal: Negociações de R. Teixeira estão sob suspeita de investigadores

  • Fábio Motta/Estadão Conteúdo

    Teixeira teria utilizado bancos de Andorra como um dos locais para fazer a lavagem de dinheiro

    Teixeira teria utilizado bancos de Andorra como um dos locais para fazer a lavagem de dinheiro

As investigações policiais em torno de Ricardo Teixeira encontraram um novo caminho sobre seu período à frente da CBF. Segundo informações divulgadas nesta quinta-feira pelo "Estado de São Paulo", o ex-dirigente teria utilizado bancos de Andorra como um dos locais para fazer a lavagem de dinheiro dos jogos da Seleção Brasileira.

O principado foi utilizado por Teixeira e pelo ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell, para transferir a renda de 24 partidas disputadas pela Seleção Brasileira. A quantia estipulada é de 8 milhões de euros (cerca R$ 29 milhões).

Porém, há informações de que o ex-dirigente da CBF não utilizou Andorra apenas como destino para suas negociações com Rosell. No principado, estariam os US$ 2,45 milhões (R$ 8 milhões) pagos por Teixeira e João Havelange de multa à Fifa para que o caso de corrupção do qual foram acusados (de fraudar a entidade em R$ 40 milhões pagos em propina pela ISL) fosse arquivado.

Quando deixou a CBF, em 2012, Ricardo Teixeira chegou a pedir oficialmente residência em Andorra, que não tem acordo de extradição com o Brasil. Para isto, chegou a fixar endereço em duas cidades diferentes. Os trâmites teriam sido acertados graças a sócios de Sandro Rosell, como Joan Besoli, que recentemente foi preso.

Porém, a autorização foi retirada após a imprensa brasileira divulgar que Ricardo Teixeira havia feito desvios de dinheiro em amistosos da Seleção Brasileiro para bancos no principado.

 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos