Com futebol vistoso, Chape derrota Avaí, assume liderança e afunda rival

O Brasileirão tem novo líder: é a Chapecoense, a queridinha do país. Na noite desta segunda, e com futebol de encher os olhos, o Verdão do Oeste não tomou conhecimento do rival Avaí e venceu por 2 a 0, na Arena Condá. Os gols foram marcados por Wellington Paulista e Reinaldo, em jogo válido pela terceira rodada e no dia do aniversário de seis meses da tragédia de Medellin.

Com o triunfo em Chapecó, os comandados de Vagner Mancini chegaram aos sete pontos e leva vantagem sobre Cruzeiro e Corinthians no critério gols pró (4 a 3 a 3). É a primeira vez na história que a Chape termina uma rodada na ponta e ficará lá, pelo menos, até o próximo sábado, quando começa a próxima rodada. No dia seguinte, o Verdão visita o Cruzeiro, às 19h, em jogo de 'seis pontos' na briga pela liderança.

Antes desse confronto, na próxima quinta-feira, as duas equipes se encaram pela volta das oitavas de final da Copa do Brasil, na Arena Condá. Na ida, vitória cruzeirense: 1 a 0. Já o Avaí fica estagnada na 18° colocação, com um ponto ganho no primeiro jogo, e ainda não marcou gols e volta a campo pelo Brasileirão também no domingo, quando recebe o Sport, às 11h, na Ressacada.

Chape define jogo logo

Na reedição da última final do Campeonato Catarinense, o vencedor foi o mesmo: a Chapecoense, que entrou disposta a matar o jogo ainda no primeiro tempo. E não demorou muito para chegar bem. Logo aos 8, Apodi arriscou de longe e colocou Kozlinski para trabalhar. No minuto seguinte, Betão salvou em cima da linha uma cabeçada de Luiz Otávio.

O gol parecia maduro e saiu aos 16, com o artilheiro Wellington Paulista. Luiz Antonio tentou de longe, a bola bateu no travessão, voltou, Arthur Caike cabeceou e a bola sobrou livre para o camisa 9 chutar cruzado e marcar. A Chapecoense continuou na pressão e ampliou com Reinaldo, aos 37, em chute de longa distância. O primeiro contou também com mais uma boa chegada de Luiz Otávio, de cabeça, e Judson, da entrada da área. As duas, antes do segundo gol.

Menos intensidade na segunda etapa

Na volta do intervalo, Vagner Mancini adotou a cautela e trocou um atacante por outro: Wellington Paulista saiu para a entrada de Túlio de Melo. Apesar da mexida, a Chapecoense não voltou com a mesma intensidade do primeiro tempo, mas ainda controlava o jogo. A melhor 'chegada' foi com Arthur Caike. Lançado na área, ele cavou pênalti e recebeu amarelo. A segunda etapa ainda contou com uma expulsão para cado lado: Luiz Otávio e Leandro Silva.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos